DANNY PIMENTEL CLARO

Projetos de Pesquisa
Unidades Organizacionais
Resumo profissional
Área de pesquisa
Nome para créditos

Resultados de Busca

Agora exibindo 1 - 10 de 14
  • Working Paper
    Fatores de propensão à compra em canais de atendimento telefônico (Call Center)
    (2015) Gelape, Giovanni Léo; ADRIANA BRUSCATO BORTOLUZZO; DANNY PIMENTEL CLARO
  • Working Paper
    Índice de Confiança do Empresário de Pequenos e Médios Negócios no Brasil (IC-PMN) e as Flutuações Cíclicas da Economia Brasileira
    (2014) Rossi Júnior, José Luiz; DANNY PIMENTEL CLARO
    O trabalho apresenta uma análise acerca do relacionamento entre o índice de confiança do empresário de pequenos e médios negócios no Brasil (IC-PMN) e as variações cíclicas dos principais indicadores macroeconômicos da economia brasileira. Os resultados indicam que as expectativas do empresário brasileiro de pequenos e médios negócios medidas pelo IC-PMN apresentam uma correlação com a evolução da economia. Subidas (quedas) do índice são associadas a melhoras (pioras) na atividade econômica brasileira. Os resultados mostram que mudanças nas expectativas captadas pelo índice explicam uma significante parte das flutuações da economia. Por fim, o trabalho aponta que não se pode rejeitar que a causalidade existe entre movimentos nas expectativas para a evolução de algumas das variáveis econômicas. Já a causalidade reversa é rejeitada para todas as variáveis adotadas no estudo.
  • Working Paper
    Managing trust relationships: evidence of the purchasing perspective of agrochemical distributors
    (2007) DANNY PIMENTEL CLARO; PRISCILA BORIN DE OLIVEIRA CLARO
  • Working Paper
    Estudo da predisposição individual para compartilhar conhecimento gerencial: o contexto intraorganiacional de equipes de projeto
    (2016) CARLA SOFIA DIAS MOREIRA RAMOS; ADRIANA BRUSCATO BORTOLUZZO; Giovanini, Jislaine Rosa Santana; DANNY PIMENTEL CLARO
    O compartilhamento de conhecimento é, de acordo com uma visão da empresa baseada no conhecimento, uma atividade chave para garantir competitividade. Motivar os colaboradores a buscar esse compartilhamento é um desafio particularmente relevante para empresas que operam numa lógica equipes de projeto. O objetivo deste trabalho consiste em identificar os fatores internos e externos ao individuo que influenciam a predisposição individual para o compartilhamento de conhecimento em ambiente intra-organizacional de equipes de projeto. Identificam-se quatro dimensões chave: a atitude e comportamento do indivíduo, a colegialidade entre membros de equipe, o apoio dado pelos gestores, e a centralidade na rede de relacionamentos do indivíduo. Dez hipóteses são propostas e testadas através de metodologia quantitativa, combinando análise de redes interpessoais e regressão econométrica. O fenómeno é estudado numa base de 121 participações individuais num total de 20 projetos realizados ao longo de dois anos na sucursal de uma empresa multinacional do setor de energia e automação industrial. Observou-se que os fatores que mais impacto têm sobre a predisposição individual para compartilhar conhecimento em equipes de projeto são de natureza tanto intrínseca como extrínseca ao indivíduo e que para além de um efeito direto sobre essa predisposição, se verídica na maioria dos casos também um efeito indireto. O estudo contribui para um melhor entendimento do compartilhamento de conhecimento em ambiente específico de equipes de projeto, permitindo ainda aos gestores uma promoção estratégica de mecanismos que estimulam a desejado fluidez do conhecimento entre membros de equipes de projeto.
  • Working Paper
    “Brasil mostra a tua cara” Aspectos Regionais da Cultura Brasileira e suas Implicações
    (2008) DANNY PIMENTEL CLARO; SILVIO ABRAHAO LABAN NETO; Strehlau, Vivian Iara
    Devido às mudanças nos padrões de desenvolvimento regional no Brasil, a expansão das empresas para outras regiões e estados representa, simultaneamente, oportunidades e desafios, em virtude das particularidades regionais do país. Uma maneira de identificar e compreender aspectos regionais consiste no estudo dos valores sociais. Este trabalho procura identificar diferenças de valores entre quatro cidades brasileiras: Belém, Porto Alegre, Salvador e São Paulo. A revisão teórica aborda cultura e microcultura enfatizando valores sociais. O modelo de análise baseia-se na lista de valores terminais e instrumentais de Rokeach. Foi realizada análise documental e de conteúdo das transcrições de oito grupos de foco sobre o tema viagem. Os valores identificados apresentam variações interessantes, indicando a predominância da imaginação e lógica em Belém, enquanto Porto Alegre se caracteriza como gentil e útil. Em Salvador há o predomínio da capacidade e da intelectualidade, enquanto a ambição e o amor destacam-se em São Paulo. Os resultados mostram que existe um corpo comum de valores em todas as cidades, como independência e responsabilidade, além do trabalho e família. Este estudo oferece evidências de que, apesar de fazerem parte de um mesmo país, brasileiros em diferentes capitais apresentam padrões de valores sociais diferenciados e, essas diferenças necessitam ser consideradas pelas empresas na elaboração de suas estratégias mercadológicas.
  • Working Paper
    Índice de Confiança do Empresário de Pequenos e Médios Negócios no Brasil (IC-PMN): Desenvolvimento e Consolidação
    (2009) Rossi Júnior, José Luiz; Laban Neto, Sílvio Abrahão; DANNY PIMENTEL CLARO; Bolzani, Luciana Corrêa; Yaksic, Jussara
    O trabalho apresenta e analisa os resultados do índice de confiança do empresário de pequenos e médios negócios no Brasil (IC-PMN) referentes às coletas realizadas no último trimestre de 2008, primeiro e segundo trimestres de 2009. Além disso, o trabalho estuda a correlação entre o IC-PMN e os principais índices de confiança brasileiros e internacionais e fornece uma primeira evidência acerca da utilidade do índice para prever algumas várias macroeconômicas. Os resultados indicam que o empresário brasileiro de pequenos e médios negócios encontrava-se otimista com relação à trajetória da economia antes da crise financeira mundial. A crise resultou em uma queda significativa da confiança do empresariado, mas os resultados referentes à última coleta com medições para as expectativas referentes ao 3° trimestre de 2009 indicam o arrefecimento da crise, demonstrado através de um aumento da confiança do empresário de pequenos e médios negócios. Por fim, o trabalho mostra que o IC-PMN apresenta um comportamento semelhante a de outros índices e confirma a possibilidade de ser usado como um indicador antecedente da trajetória de algumas variáveis macroeconômicas como o PIB, produção industrial e consumo.
  • Working Paper
    Estimating Claim Size and Probability in the Auto-insurance Industry: the Zero-adjusted Inverse Gaussian (ZAIG) Distribution
    (2009) ADRIANA BRUSCATO BORTOLUZZO; DANNY PIMENTEL CLARO; Caetano, Marco Antonio Leonel; RINALDO ARTES
  • Working Paper
    Modelo de Previsão de Vendas para Bens de Capital Industriais
    (2014) ADRIANA BRUSCATO BORTOLUZZO; DANNY PIMENTEL CLARO; Silva, Jorge Aparecido da
    O objetivo deste trabalho é o desenvolvimento de um modelo de previsão de vendas para bens de capital industriais. São propostas nove hipóteses para a construção do modelo, sete operacionalizadas a partir de variáveis sobre condições do ambiente econômico e origens de recursos para os investimentos, e duas a partir de variáveis internas da empresa alvo do estudo. Para o desenvolvimento do trabalho, utilizam-se dados mensais de volume de vendas, número de propostas de fornecimento emitidas, e investimentos em comunicação de marketing de uma empresa representativa do segmento, analisados em modelos de séries temporais com regressão (modelos de função de transferência), com variáveis estabilizadas através de transformações log-retorno. Os resultados obtidos comprovam a importância de fatores tais como a taxa de juros, a taxa de câmbio, a existência de linhas especiais de financiamento e o fluxo de entrada de investimentos estrangeiros na criação de um ambiente propício para a realização de vendas de bens de capital, além de dar suporte à importância dos investimentos em propaganda, por vezes contestados quanto à eficácia na geração de vendas no mercado industrial.
  • Working Paper
    Entendemos sustentabilidade em sua plenitude? Análise de fatores que influenciam a interpretação do conceito
    (2005) PRISCILA BORIN DE OLIVEIRA CLARO; DANNY PIMENTEL CLARO
    Nota-se que as empresas encontram dificuldades em associar discursos e práticas gerenciais a interpretação completa da definição de sustentabilidade. O objetivo deste estudo é identificar a interpretação que o indivíduo atribui ao termo sustentabilidade e por sua vez analisar fatores que influenciam tal interpretação. Os fatores selecionados na pesquisa foram: escolaridade, o tipo de tarefa que desempenha na empresa, o discurso organizacional e as práticas organizacionais. 70 funcionários, de duas empresas líderes regionais em seus setores, foram entrevistados através de um questionário estruturado. De acordo com os resultados das análises do modelo estimado, o termo de sustentabilidade é mais bem compreendido dado o aumento da escolaridade e de práticas gerenciais sociais. Existe um efeito negativo das práticas gerenciais econômicas na interpretação do conceito de sustentabilidade. Esta pesquisa conclui que embora muito discutido teoricamente, o significado do termo não é claro para a maioria das pessoas o que impede que mudanças significativas em prol da sustentabilidade sejam colocadas em prática de forma efetiva.
  • Working Paper
    Increasing Salesperson Performance With Social Capital: The Impact of Centrality, Tie Strength and Network Diversity
    (2008) DANNY PIMENTEL CLARO; Laban Neto, Sílvio Abrahão; Gonzalez, Gabriel