Resultados de Busca

Agora exibindo 1 - 5 de 5
  • Trabalho de Conclusão de Curso
    Os determinantes do desempenho escolar no Paraná.
    (2021) Móres, Vinicius
    Esse trabalho é a primeira parte de um estudo que visa, a partir da realização de exercícios econométricos, analisar o desempenho dos alunos do Paraná na prova de matemática do SAEB 2015, a partir de um conjunto de características dos alunos, diretores, professores e escolas. O desenvolvimento desse trabalho consiste na contextualização do tema, discussão de literatura, estatísticas descritivas, metodologia e resultados econométricos.
  • Trabalho de Conclusão de Curso
    Determinantes do retorno de private equity e venture capital no Brasil
    (2014) Moreira, Lucas do Amaral
    Neste trabalho foi realizada uma análise de algumas características determinantes do retorno de investimentos de Private Equity e Venture Capital no Brasil. Foram analisados caracterizadores tanto dos investimentos (período investido e capital investido), quanto de fundos (tamanho do fundo, capital comprometido do fundo e estratégia), gestores (idade) e mercado (desempenho do Ibovespa). A análise se deu sobre uma amostra construída pelo Insper em conjunto com a Spectra, gestora de fundo de fundos de Private Equity no Brasil. Os resultados desse estudo demonstram impactos relevantes de algumas características sobre o sucesso dos investimentos.
  • Trabalho de Conclusão de Curso
    Desenvolvimento econômico da américa latina: uma análise dos determinantes do crescimento entre 1960 e 2008
    (2009) Barnabe, Renato Steffen
    Este trabalho busca atualizar o trabalho feito por Loayza, Fajnzylber e Calderón (2004), com os determinantes do crescimento econômico da América Latina durante a primeira década do século XXI. Mostra-se de grande importância para o período políticas econômicas que visam a estabilidade monetária e diminuição da volatilidade cíclica do produto.
  • Trabalho de Conclusão de Curso
    Investimento estrangeiro direto e sua relação com o crescimento econômico brasileiro: uma análise para o período real
    (2016) Licio, Pedro Hinden Volponi
    Durante a segunda metade dos anos 90 e começo dos anos 2000, o país passou por um desafio de estabilização e consolidação de reformas econômicas, como a implementação do Plano Real e a adoção de um novo arcabouço de políticas econômicas. Essas reformas foram substancialmente importantes para criar um ambiente propício para que o ingresso de investimento estrangeiro ganhasse volume. O presente trabalho busca estudar os fatores internos determinantes para o influxo do investimento estrangeiro direto no Brasil, além de analisar sua relação com Produto Interno Bruto nacional para o período desde a implantação do Plano Real até o primeiro trimestre de 2016. Além disso, foi feito em separado um estudo para o período em que o Partido dos Trabalhadores assumiu o comando do governo federal para averiguar se as relações se alteram. Para isso foi usada uma abordagem baseada em um modelo Auto Regressivo Vetorial com uma função Impulso Resposta e Decomposição da Variância. Os resultados obtidos indicam que, para o período entre o terceiro trimestre de 1994 e o terceiro trimestre de 2016, o câmbio e o nível de infraestrutura assumem papeis importantes como determinantes do influxo de investimento estrangeiro direto, assim como o investimento estrangeiro direto causa um impacto positivo no PIB. Já para o período entre o primeiro trimestre de 2003 e o primeiro trimestre de 2016, obteve-se que nenhuma das variáveis causam impacto significante sobre o investimento estrangeiro direto, assim como o investimento estrangeiro direto não impacta o PIB.
  • Dissertação
    Spreads de crédito: modelo estrutural aplicado a bonds brasileiros
    (2016) Beccegato, Davi
    Este trabalho utilizou uma base de dados pública de 38 títulos de dívida corporativa de 11 empresas brasileiras, entre os anos de 2011 e 2016, a fim de estudar a capacidade dos modelos estruturais em explicar as variações no spread de crédito. Com base no estudo de Avramov, Jostova e Philipov (2007), o modelo proposto emprega uma composição de variáveis explicativas comuns ao mercado e variáveis explicativas específicas da firma para investigar o poder explicativo dos modelos estruturais sobre as variações do spread de crédito. Os resultados indicam que os determinantes estruturais propostos podem explicar até 56% das oscilações dos spreads de crédito de títulos de dívida corporativa de empresas brasileiras, com destaque para os fatores específicos que isoladamente podem explicar até 45% das variações nos spreads. Os resultados ainda sugerem que o poder explicativo dos determinantes propostos aumenta quando aplicados em bonds de maior yield.