Resultados de Busca

Agora exibindo 1 - 8 de 8
  • Dissertação
    Relação entre índices de eficiência e decisões estratégicas em instituições financeiras
    (2012) Batista, Adriano Nagliate
    Empresas tomam decisões estratégicas que norteiam seus negócios em várias etapas de sua existência. Seria possível relacionar o resultado dessas decisões com indicadores de eficiência? Um dos setores da economia que vive em constante ebulição e que apresenta forte disputa por melhores indicadores de eficiência no Brasil e no mundo são as instituições financeiras. Com o objetivo de avaliar a eficiência de instituições do mercado brasileiro por segmento e de players globais nos últimos anos, em conjunto com informações que levam a decisões estratégicas tomadas, duas metodologias foram aplicadas: DEA (Data Envelopment Analysis) e uma regressão linear múltipla – OLS (Ordinary Least Square) – com dados em painel, chamada nesse trabalho de ER (Efficiency Ratio). Os resultados aliados a uma análise do setor dividido nos segmentos mostraram uma relação significativa entre eficiência e algumas decisões estratégicas testadas.
  • Trabalho de Conclusão de Curso
    Futuro das Fintechs: uma revisão bibliográfica
    (2017) Ferreira, Arthur Eduardo Bloise
    Em 1866, finanças e tecnologia começaram a caminhar juntas originando um novo setor chamado Fintech. Nos últimos anos as startups do setor começaram a se destacar, principalmente após a crise de 2008 devido à queda de credibilidade das instituições financeiras tradicionais, devido a sua área de atuação elas são comumente chamadas de Fitenchs. Mostramos o que influencia seu surgimento e como elas estão distribuídas pelo mundo, destacando grandes centros e potenciais locais de desenvolvimento de Fintechs. Nesse contexto o Brasil tem um certo destaque internacional e apresenta um ambiente propenso ao surgimento de Fintechs. Em 2009 uma nova tecnologia foi lançada e se mostra cada vez mais promissora, desde então a blockchain vem sendo testada em diferentes partes da área financeira. Neste estudo colocamos ideias divergentes para debater e ideias convergentes juntas para que elas se complementem, desta forma conseguimos analisar melhor esse fenômeno que são as Fintechs. Por um lado, muitas pessoas ainda continuam céticas, não acreditam no potencial da blockchain e veem diversos avanços das Fintechs como arriscados e equivocados. Por outro, existem diversos autores que veem as Fintechs como revolucionarias e mostram a capacidade delas de reduzir os custos das transações financeiras e de oferecer meios de pagamentos a pessoas que não tinham nenhuma alternativa anteriormente. Através destas oportunidades abertas pelas Fintechs podemos concluir que elas vieram para ficar e que o público se mostra aberto a essas ideias disruptivas oferecidas por elas.
  • Trabalho de Conclusão de Curso
    Análise de eficiência da justiça eleitoral no Brasil
    (2014) Garcia, Gabriel Arsuffi
    Neste artigo foi aplicada a Análise Envoltória de Dados (DEA) para medir a eficiência da Justiça Eleitoral Brasileira, para tal analise foram coletados um conjunto de dados fornecidos pela Justiça em Números do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Os resultados encontrados indicam uma diferença significativa entre os tribunais regionais eleitorais (TRE), Sendo possível observar um grupo que apresenta alto desempenho em todo o período estudado e outro que apresenta um baixíssimo desempenho. Também é possível inferir através dos resultados que existe uma correlação entre o índice de eficiência e o planejamento orçamentário dos tribunais. Alem disso é importante mencionar algumas disparidades encontradas nos resultados de eficiência dos TREs quando comparado aos seus respectivos estados nos estudos de eficiência da Justiça Estadual Brasileira.
  • Dissertação
    Gastos com TI e a eficiência das empresas um estudo com DEA no setor bancário
    (2010) Mainetti Junior, Sergio
    Tecnologia da Informação (TI) está presente na maior parte das empresas, as quais investem grandes esforços financeiros e de trabalho na busca do melhor uso dos gastos com TI. O objetivo desta dissertação é apresentar uma pesquisa empírica envolvendo a área de TI nas empresas, mais especificamente são analisados os gastos com TI e a eficiência das empresas, com o uso da técnica DEA (Análise Envoltória de Dados, do inglês, Data Envelopment Analysis) de forma categorizada. A categorização dos bancos (ou DMUs, do inglês, Decision Making Units) por foco de atuação feita nesta pesquisa e a estrita aderência aos protocolos DEA para estudos que usam esta técnica preenche uma lacuna não coberta por estudos anteriores, e apresenta resultados diferentes de estudos semelhantes sobre este tema. Os resultados apresentados mostram que para categorias diferentes de DMUs, a relação com eficiência muda, mesmo em se tratando de todas as DMUs do mesmo setor. Os principais pontos a se destacar dos resultados são: (i) Maiores gastos com TI têm uma maior correlação com eficiência para bancos Varejistas e menor correlação com eficiência para bancos Especializados em Crédito; (ii) Os bancos que têm maiores gastos com TI têm maior eficiência média apenas na categoria de bancos Varejistas, para as categorias Atacadistas e Especializados em Crédito os bancos que têm maiores gastos com TI têm menor eficiência média; e (iii) Os principais resultados resumidos aqui reforçam a importância de se seguir os protocolos adequados do uso da técnica DEA, uma vez que em se comparando DMUs de forma não homogênea, os resultados podem se apresentar diferentes.
  • Dissertação
    Monitoramento e eficiência dos agentes: evidências do setor brasileiro de telecomunicações
    (2011) Quartarolo, Cinthia Mazziero
    A provisão de serviços de telefonia no Estado de São Paulo é feita por uma empresa concessionária que subcontrata prestadoras de serviços técnicos. As atividades desempenhadas por essas subcontratadas não vêm sendo bem avaliadas pela Agência Reguladora responsável. O objetivo deste trabalho é investigar se a distância geográfica entre a concessionária e as subcontratadas dificulta o monitoramento das atividades desempenhadas pelos agentes e se isso gera impactos no desempenho das subcontratadas. Usando Análise Envoltória de Dados obtém-se o ranking de eficiência relativa entre as subcontratadas e calcula-se a correlação entre a distância e a eficiência. Os resultados revelaram que quanto maior a distância, pior a eficiência relativa da empresa subcontratada.
  • Dissertação
    Comparativo de eficiência no mercado bancário brasileiro
    (2015) Sanchetta, Daniel De Souza
    Esta dissertação analisa a eficiência do mercado bancário brasileiro, com foco na comparação entre bancos públicos, privados nacionais e estrangeiros, através da Análise de Fronteira Estocástica. Foram utilizados dados trimestrais no período de 2000 a 2015 dos principais bancos varejistas brasileiros. Inferiu-se uma fronteira de custo do mercado e verificou-se a distância média desta fronteira para os bancos de acordo com seu controle acionário. Os bancos privados nacionais apresentaram o maior nível de eficiência, seguidos pelos bancos públicos e os bancos estrangeiros que demonstraram um nível de ineficiência semelhante, apesar das instituições de controle estatal possuírem acesso a um custo de captação consideravelmente menor, por força de lei. Este fato comprova que a tecnologia de produção dos bancos estrangeiros é mais eficiente que a dos bancos públicos.
  • Trabalho de Conclusão de Curso
    Análise comparativa de eficiência em fazendas cafeeiras com certificado de sustentabilidade socioambiental no cerrado de Minas Gerais
    (2015) Ribeiro, Matheus Cruvinel Souza
    Diante de mudanças na estrutura do mercado mundial de café, tanto ligadas à choques de preços como à preferências de consumidores, um movimento em busca de maior produtividade e qualidade foi visto na cadeia produtiva de café, com destaque para a região de Minas Gerais, no Brasil. Este trabalho apresenta uma análise da produtividade e eficiência de fazendas produtoras de café na região do Cerrado de Minas Gerais, a partir de uma abordagem quantitativa, com intuito de quantificar a eficiência na transformação de insumos em produto final. Assim se torna possível uma comparação entre o grupo de fazendas que possuem certificação de sustentabilidade socioambiental e o das que não possuem. A metodologia utilizada para tal procedimento é chamada Análise Envoltória de Dados (DEA).
  • Dissertação
    Formas de organização em hospitais públicos: uma análise de fronteira de eficiência
    (2016) Oliveira, Flávio Garcia
    Essa dissertação preenche uma lacuna importante com relação ao estudo da eficiência dos hospitais gerais públicos. É preciso entender se os hospitais das Organizações Sociais de Saúde (OSS), modelos organizacionais híbridos, são mais eficientes do que os da Administração Direta (AD), modelos de burocracia pública tradicionais. A hipótese é de que as unidades OSS são mais eficientes que as AD por possuírem maior autonomia sobre os insumos e maior responsabilização sobre os serviços prestados em virtude de seu arranjo organizacional mais flexível. Coletou-se então os dados de input (recursos físicos e humanos) e output (número de internações e consultas) do DATASUS (MS) correspondentes a toda a amostra de 634 hospitais públicos do estado de São Paulo. Excluíram-se os 108 hospitais psiquiátricos e ambulatórios. Determinou-se os coeficientes de eficiência para os 526 hospitais restantes, através da técnica de otimização linear chamada análise de envoltória de dados (DEA). A amostra apresenta 456 hospitais gerais e 70 hospitais especializados. Os resultados revelam a notória ineficiência dos hospitais gerais paulistas em relação aos hospitais especializados. Como o intento do estudo é estudar apenas as eficiências relativas dos hospitais gerais públicos, excluíram-se ainda os 70 hospitais especializados da amostra. Finalmente, foram conduzidas duas novas análises DEA comparativas em duas amostras distintas: (I) – a primeira, com uma amostra de 158 hospitais cujo atendimento é exclusivo ao SUS (OSS = 34; AD = 124); (II) – a segunda, com toda a amostra de 456 hospitais (OSS = 34; AD =124; OUTROS = 298), onde detectou-se um terceiro grupo de hospitais que denominamos OUTROS. São entidades privadas que têm como particularidade atender ao SUS e ao mercado (operadoras de saúde e privados). As unidades OSS são mais eficientes que as AD, considerando-se a comparação das medianas dos coeficientes de eficiência DEA, em ambas as análises. Os coeficientes de eficiência DEA obtidos foram então regredidos (Tobit Censurado) em função de algumas variáveis de controle. Observou-se que o número de leitos, nas duas comparações (I e II), a presença de ensino médico e o número de internações do sexo feminino, apenas na comparação II, possuem efeito positivo e significante sobre o coeficiente de eficiência DEA. Nesse estudo não conseguimos obter significância estatística para dizer que é a forma organizacional OSS versus AD um fator relevante relacionado a eficiência de hospitais gerais públicos. Pode ser que as características físicas dos hospitais OSS expliquem melhor essas diferenças como é o caso do maior número de leitos dedicados ao SUS pelas OSS, um efeito escala importante. Há outros fatores como os mecanismos de pagamento e as práticas gerenciais adotadas nos diferentes arranjos organizacionais, que também estão relacionados ao desempenho do setor público hospitalar e que não foram abordados nessa dissertação. Faz-se necessário, portanto, a criação de desenhos de estudos comparativos entre esses hospitais, que sejam conduzidos a entender os fatores causais envolvidos nas diferenças de eficiência dessas organizações.