Resultados de Busca

Agora exibindo 1 - 4 de 4
  • Artigo Científico
    Os efeitos do Programa Bolsa Família sobre a duração do emprego formal dos indivíduos de baixa renda
    (2017) Santos, Danilo Braun; Leichsenring, Alexandre Ribeiro; NAERCIO AQUINO MENEZES FILHO; Mendes-da-Silva, Wesley
    Neste artigo utilizamos microdados do Cadastro Único combinados com dados da Relação Anual de Informações Sociais (Rais) para examinar a duração do emprego entre indivíduos de famílias beneficiárias do Programa Bolsa Família. Para tanto, estimamos modelos de riscos proporcionais de Cox para comparar a duração no emprego entre beneficiários e não beneficiários do programa utilizando uma base de dados com mais de três milhões de indivíduos pertencentes a famílias de baixa renda. Os resultados sugerem que o risco de desligamento do empre go para os beneficiários do Programa Bolsa Família é entre 7% e 10% menor do que para os não beneficiários. Modelos paramétricos também foram ajustados para verificação de robustez, produzindo resultados equivalentes aos do modelo de Cox. Em todos os casos, a participação no programa foi observada por meio de uma covariável variando no tempo, extraída diretamente das folhas de pagamento do programa.
  • Trabalho de Conclusão de Curso
    Efeito da presença de filhos na oferta de trabalho e nos salários das mulheres brasileiras
    (2017) Biazetti, Marilia Barbosa Lima
    Existem diversos estudos focados na própria maternidade e como essa decisão foi tomada, enquanto outros no impacto da mesma na presença dessas mulheres no mercado de trabalho, entre outras variáveis. O trabalho proposto tem foco no mercado brasileiro e como essa decisão afeta as principais variáveis que permeiam a vida dessas mulheres. Desse modo, serão utilizados métodos estatísticos como regressões logísticas com procedimento de Heckman, para que seja possível entender o efeito da maternidade dadas suas principais características na oferta de trabalho e salários de mulheres com e sem filhos, provindas de bases de dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (PNAD) em diferentes períodos (entre 2004/2005 e 2014/2015). O estudo foi baseado no artigo publicado por Reynaldo Fernandes e Elaine Toldo Pazello, em 2004, chamado “A maternidade e a mulher no mercado de trabalho: Diferença de comportamento entre mulheres que têm e mulheres que não têm filhos”, onde eram estudados os mesmos efeitos citados acima. Assim, de modo a agregar ao trabalho feito anteriormente, as regressões serão feitas em diferentes espaços de tempo, para que seja possível entender se existe diferença desse mesmo efeito para diferentes gerações. Os resultados encontrados foram que mulheres sem filhos possuem maior probabilidade de ter participarem do mercado de trabalho, terem maiores salários e maiores jornadas de trabalho. Essa diferença entre os grupos não se comprova no longo prazo, além de existirem alguns indícios de crescimento quando comparados os resultados com uma década de diferença, comprovando a hipótese de que existem variações entre gerações.
  • Trabalho de Conclusão de Curso
    O impacto do imposto sobre produtos industrializados no setor automotivo
    (2015) Shimizu, Felipe Farinha
    O presente trabalho tem como objetivo analisar o setor automotivo, que é uma área significativa para a economia brasileira, frente às alterações da alíquota do Imposto sobre Produtos Industrializados. Isso será feito por meio de uma descrição da importância do setor, dos critérios utilizados na determinação das alíquotas e por meio de um questionamento diante do protecionismo da indústria local. O trabalho tentará esclarecer se a variação do IPI, de fato, impacta nas vendas e se essa medida é a mais eficaz para estimular a indústria automobilística em momentos de crise financeira mundial, avaliando o reflexo da desoneração nos níveis de emprego e na arrecadação fiscal.
  • Dissertação
    Mecanismos de recompensa e satisfação no emprego : uma aplicação no mercado brasileiro
    (2012) Pereira, Adriano Zelazowski
    Este trabalho estuda a influência que os mecanismos de recompensa, como distribuição de resultados e remuneração por performance exercem sobre a satisfação no trabalho, satisfação com colegas e supervisores, além da satisfação com a remuneração, levando-se em consideração outros fatores que podem afetar esta relação como perspectiva de promoção, se o trabalho é desafiador para o trabalhador, satisfação com a remuneração fixa e variável, satisfação com a estabilidade no emprego, entre outros. Para desenvolver o estudo, foram utilizados dados obtidos através da aplicação de um survey junto ao mercado brasileiro, realizado através de pesquisa on-line, cujos dados foram tratados utilizando o modelo Probit Ordenado.