Resultados de Busca

Agora exibindo 1 - 2 de 2
  • Dissertação
    Modelando a demanda brasileira privada por empréstimos por meio da relação de Longo prazo entre empréstimos, PIB e Taxas de Juros
    (2009) Guido, Luís Fernando Coelho
    Este trabalho procurou estudar as variáveis determinantes para a demanda de empréstimos locais pelo setor privado brasileiro. Utilizando a metodologia de Johansen, o estudo identifica a relação entre empréstimos locais, PIB e taxas de juros de curto e longo prazos. O período analisado foi de janeiro de 1995 a março de 2006. Os resultados apontam que as taxas de juros têm um papel relevante na evolução dos empréstimos, ou seja, funcionam como os preços dos empréstimos. Verifica-se, também, que a taxa de juros de longo prazo apresenta um papel mais importante que a taxa de juros de curto prazo na determinação dos empréstimos para o período analisado. Quanto ao produto percebe-se que este não desempenha um papel de destaque na determinação dos empréstimos, dependendo do modelo, encontram-se também resultados que podem levar a duas conclusões dispares: na primeira, conclui-se uma relação positiva entre produto e empréstimos, ou seja, uma economia em expansão demanda um volume maior de empréstimo; na segunda, conclui-se que, em uma economia em crescimento demandaria menos empréstimo, provavelmente por se financiar com os recursos próprios e não de terceiros.
  • Dissertação
    Política monetária afeta crédito ao consumidor?
    (2006) Ribeiro, Douglas Betioli
    Este trabalho investiga os efeitos de choques positivos de política monetária no mercado de crédito brasileiro. Um passo além da abordagem tradicional de custo de capital, queremos detectar o comportamento do consumo dos principais produtos de crédito, da inadimplência e dos juros praticados pelo mercado. Encontramos que o mercado brasileiro apresenta alguns resultados divergentes da intuição econômica. O consumidor brasileiro aumenta seu consumo de crédito e a variação por produto contradiz o que se esperaria diante dos custos financeiros de cada um. A inadimplência dos principais produtos de crédito não é influenciada, mas a deterioração na capacidade de pagamento manifesta-se alguns meses após o choque. Ainda, o tamanho das instituições financeiras influencia a transmissão dos choques aos juros praticados pelo mercado.