Resultados de Busca

Agora exibindo 1 - 10 de 25
  • Trabalho de Conclusão de Curso
    Construção de Redes Complexas via Transferência de Entropia para construção de Portfólios
    (2021) Guilherme França de Castro
    Este artigo traz uma reinterpretação do modelo de construção de portfólios de Markowitz que se baseia na Transferência de Entropia (TE) para a construção de Redes Complexas ao invés do uso da covariância. Para tanto, serão utilizados os retornos e as volatilidades de cento e setenta e seis ativos so S&P 500 entre 2000 e 2021, ativos que estão em circulação durante todo o intervalo de tempo abordado, criando intervalos de um ano para fazermos uma análise mais precisa da rede em momentos de alta volatilidade. Como feito em trabalhos anteriores, vamos fazer o teste tanto por uma matriz de covariância e por Transferência de Entropia com Defasagem (LETE), onde pode ser observado que uma matriz desenvolvida por meio de uma LETE, que é a transferência de informação de uma série temporal defasada (em um período) para outra série temporal, é próxima de uma matriz de correlação das mesmas variáveis, porém ela é mais estável em momentos de alta volatilidade. Nossos resultados mostram que em momentos de alta volatilidade, os nós das redes construídas ficam mais concentrados e que os resultados de construção de portfólio por meio de correlação e LETE são parecidos, mas os resultados são mais robustos e estáveis quando obtidos por meio da LETE, assim podendo possibilitar melhores retornos em alocações de portfólios
  • Trabalho de Conclusão de Curso
    Análise de relações de causalidade entre variáveis macroeconômicas e o IBovespa
    (2019) Araujo, Raul Castelo Branco
    O intuito desse estudo é investigar a dinâmica entre os resultados da bolsa de valores brasileira, quantificados pelo IBovespa, e uma gama de choques de variáveis macroeconômicas, após o ajuste inflacionário de Plano Real. Para isso, serão feitos testes para investigar a existência de relações de causalidade, utilizado um modelo multivariado de vetores autorregressivos (VAR) e a função de resposta ao impulso com as seguintes variáveis: o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Ampliado) como proxy para nível de inflação, já que, processos inflacionários descontrolados são características de períodos de recessão econômica, como os passados pelo Brasil no passado recente e que, também são acompanhados por baixas nas bolsas de valores, além de apresentarem desvalorizações contínuas na moeda doméstica, assim utilizaremos também a taxa de câmbio (R$/US$); a taxa básica de juros brasileira (meta SELIC) por ser o instrumento de política monetária, e por fim, e por fim, o risco país (EMBI), já que, segundo a teoria do Modelo de Dividendos Descontados, o prêmio de risco exerce efeito direto nas cotações do mercado acionário. O intervalo de tempo a ser estudado é de julho de 1996 a dezembro de 2018 (série mensal)
  • Dissertação
    Avaliação de betas por fundamentos uma análise de empresas do setor elétrico na América Latina
    (2008) Violaro, Rodrigo Otávio
    É necessário estimar um custo de capital que efetivamente reflita o risco intrínseco do negócio. A metodologia mais utilizada para se estimar custo de capital próprio utiliza médias de betas de ações negociadas no mercado. Entretanto, uma grande quantidade de empresas do setor elétrico atua em mais de um segmento: geração, distribuição, transmissão e comercialização de energia elétrica, e o percentual que cada segmento representa na atividade difere significativamente de uma para outra. Este trabalho procura calcular o beta de ações de empresas do setor elétrico na América Latina através dos fundamentos da empresa ou projeto em questão. A metodologia utilizada neste trabalho é uma regressão com pooling de série de tempo e cross-section, sendo a variável independente os betas estimados para as empresas do setor elétrico da América Latina e as variáveis explicativas os fundamentos econômicos e financeiros. Os resultados indicam que alavancagem financeira, alavancagem operacional, tamanho, segmento de atuação e país de origem exercem influência na percepção de risco do acionista com reflexos no custo de capital próprio, conforme esperado pela literatura existente.
  • Trabalho de Conclusão de Curso
    Risco e retorno de um portfólio de opções
    (2019) Leal Filho, João Batista
    As opções de compra e venda são um dos tipos de derivativos mais comercializados atualmente. A relação entre risco e retorno de ações ou de uma carteira de ações têm sido estudada com profundidade, no entanto, essa mesma relação para uma opção e para uma carteira desses derivativos ainda é pouco estabelecida. Este trabalho se propõe a apro fundar esse tema. Para isso, utilizamos a metodologia publicada por Faias e Santa-Clara (2011) para a construção de um porfólio de opções de compra e venda das ações ordinárias da Eletrobrás S.A. A principal vantagem desse método é que não é baseado em uma distribuição de probabilidade, mas em simulações bootstrap. Com essa ideia, simulamos o retorno esperado das opções com um mês para o vencimento. Encontramos que, de acordo com os índices de Sharpe, o investidor deveria investir em um portfólio de opções ao invés de investir no ativo objeto.
  • Trabalho de Conclusão de Curso
    Avanços recentes na teoria da escolha sob ambiguidade: Consequências e fenômenos relacionados
    (2020) Borges, Vinícius dos Reis
    Neste trabalho é realizada uma revisão da literatura relativa à teoria da decisão sob incerteza, mais especificamente à evolução das contribuições acadêmicas sobre os comportamentos e atitudes frente à ambiguidade. Naturalmente, previamente a tal discussão os modelos de utilidade esperada sobre risco e incerteza subjetiva são analisados. Tendo como ponto de partida o importante paradoxo de Ellsberg, essa dissertação passa a apresentar os conceitos fundamentais e os modelos que permitem tratar ambiguidade. Mais importante, são discutidas e apresentadas as consequências para alguns modelos que anteriormente se baseavam somente no modelo de utilidade esperada. Por fim, são discutidos alguns trabalhos que lançam luz à alguns fenômenos relacionados à ambiguidade que podem condicioná-la.
  • Dissertação
    Cópulas - uma alternativa para estimação de modelos de risco multivariados
    (2006) Pereira, Denis Eduardo
    Dentre os principais desafios enfrentados no cálculo de medidas de risco de portfólios está em como agregar riscos. Esta agregação deve ser feita de tal sorte que possa de alguma forma identificar o efeito da diversificação do risco existente em uma operação ou em um portfolio. Desta forma, muito tem se feito para identificar a melhor forma para se chegar a esta definição, alguns modelos como o Valor em Risco (VaR) paramétrico assumem que a distribuição marginal de cada variável integrante do portfólio seguem a mesma distribuição, sendo esta uma distribuição normal, preocupando-se apenas em modelar corretamente a volatilidade e a matriz de correlação. Modelos como o VaR histórico assume a distribuição real da variável e não se preocupam com o formato da distribuição resultante multivariada. Assim sendo, a teoria de Cópulas mostra-se uma grande alternativa, à medida que esta teoria permite a criação de distribuições multivariadas sem a necessidade de se supor qualquer tipo de restrição às distribuições marginais e muito menos às multivariadas. Neste trabalho iremos abordar a utilização desta metodologia em confronto com as demais metodologias de cálculo de Risco, a saber: VaR multivariados paramétricos - VEC, Diagonal,BEKK, EWMA, CCC e DCC- e VaR histórico para um portfolio resultante de posições idênticas em quatro fatores de risco – Pre252, Cupo252, Índice Bovespa e Índice Dow Jones.
  • Trabalho de Conclusão de Curso
    Aspectos jurídicos da captação de recursos por startups
    (2021) Jucá, Pedro Castelo Branco da Fonseca
    Através do presente estudo planeja-se apresentar e esclarecer os principais pontos que permeiam as startups, avaliando-os sob uma ótica da captação de fundos no mercado e o risco aí envolvido. Por se tratar de um ambiente empresarial relativamente novo e com um funcionamento deveras particular, o estudo será iniciado com uma breve explanação do que deverá ser entendido como startup, bem como uma apresentação de quem são os principais participantes deste mercado. Com estas bases conceituais estabelecidas, serão apresentados os meandros do funcionamento das startups, as principais ferramentas contratuais e estruturas societárias utilizadas para, concomitantemente, permitir a capitalização da startup e garantir segurança suficiente aos investidores. A apresentação de cada instituto tomará como base seus pontos positivos e negativos, de uma maneira a permitir algo mais próximo da visibilidade total, com o intuito de demonstrar que cada qual terá uma finalidade e funcionamento diferente, cuja utilização dependerá largamente do momento e situação específica dos envolvidos na empresa.
  • Trabalho de Conclusão de Curso
    Avaliação de Betas por fundamentos: análise do setor elétrico para empresas da américa latina
    (2010) Slamovitz, Sebastián
    Este trabalho procura calcular o beta de ações de empresas do setor elétrico na América Latina através dos fundamentos da empresa. A metodologia utilizada neste trabalho é uma regressão com pooling de série de tempo e crosssection, sendo a variável independente os betas estimados para as empresas do setor elétrico da América Latina e as variáveis explicativas os fundamentos econômicos e financeiros. Os resultados indicam que alavancagem financeira, alavancagem operacional, tamanho, país de origem e subsetor de atuação exercem influência no custo de capital próprio, conforme esperado pela literatura existente.
  • Dissertação
    Diversificação e relação risco retorno de portfólios de investimentos em Private Equity no Brasil
    (2017) Leal, Fernando Guerra
    Este artigo teve por objetivo pesquisar os impactos da diversificação na relação risco retorno dos investimentos em fundos de Private Equity (PE) no Brasil. Para tanto, foi utilizada a base de dados denominada Spectra-Insper, que agrega dados de 153 negócios realizados por fundos de PE no Brasil, entre 1995 e 2011. As análises foram baseadas em simulações de Monte Carlo, construindo portfólios teóricos de investidores que: (i) diversificaram (alocaram os recursos em 5 fundos) e não diversificaram (alocaram os recursos em 1 fundo); (ii) diversificaram por safra (alocaram os recursos em fundos constituídos em 5 diferentes anos) e não diversificaram por safra (alocaram os recursos em fundos de 1 único ano). Analisando as distribuições dos retornos das simulações, podem-se observar claros benefícios da diversificação, principalmente por reduzir o risco dos portfólios diversificados. O investidor que diversificou por número de fundos obteve índice de retorno ajustado ao risco 32% maior do que o investidor que não diversificou. Os resultados foram ainda melhores para os investidores que diversificaram por safra, os quais obtiveram índice de retorno ajustado ao risco 28% maior do que os investidores que não diversificaram por safra. Conclui-se, portanto, que a diversificação tem impacto positivo para os investidores de PE, reduzindo o risco e aumentando a relação entre o risco e o retorno.
  • Trabalho de Conclusão de Curso
    Uma investigação da alocação de ativos em fundos multimercados no Brasil
    (2009) Galves, Carlos Eduardo Valdo
    Nos últimos anos o gestor de fundos de investimento brasileiro vem se preocupando mais com a exposição do risco de suas carteiras de investimento. Para minimizar o risco de seus investimentos, os gestores se utilizam da diversificação do portfólio, formando assim os fundos multimercados. Quando se trabalha com diversas classes de ativos, é importante saber qual desses ativos interfere na gestão. Neste trabalho foi aplicado um modelo de fatores, para mensurar se os ativos testados influenciam na gestão e, além disso, foi analisado o alfa da regressão para ver se os gestores conseguiram obter ganhos através de uma gestão ativa de investimento.