Resultados de Busca

Agora exibindo 1 - 3 de 3
  • Trabalho de Conclusão de Curso
    Factor investing no Brasil
    (2020) Kang, Deborah I Sul
    O estudo de cinco fatores de Fama e French é estendido para o caso brasileiro, provendo evidência internacional ao estudo. Baseando-se no mercado de ações brasileiro, os fatores e carteiras são construídos conforme os exercícios do estudo. Confirma-se prêmios de tamanho fortemente positivo para empresas maiores. Enquanto o prêmio do fator valor parece significante, os fatores investimento e lucratividade parecem estatisticamente fracos. Confirma se que o modelo mais explicativo, entre diferentes modelos de três a cinco fatores, é o mais completo, com todos os fatores na regressão GRS.
  • Dissertação
    The impact of size of the firm and exchange rate in the export propensity of domestic and foreign owned firms in a developing country: a study of the Brazilian exporters
    (2012) Pessoa, Francisco Garcez Palha Da Costa
    Integrando a visão baseada em recursos e teoria sobre taxas de câmbio, este estudo analisa a propensão à exportação de empresas controladas por capitais domésticos e estrangeiros. Dados em painel de 214 das maiores empresas com atividade no Brasil, entre os anos 2001 a 2010, são usados numa regressão logística com efeitos fixos. Os resultados mostram que, dependendo da fonte de controle da empresa, o tamanho e a taxa de cambio real efectiva afectam a propensão à exportação de formas diferentes. Tamanho tem um impacto positivo na propensão à exportação de empresas estrangeiras, enquanto a taxa de câmbio real efectiva tem um efeito fraco, mas positivo na propensão à exportação das empresas domésticas.
  • Dissertação
    Modelos de características e fatores de risco: um estudo no mercado acionário brasileiro
    (2014) Nóbrega, Cecília Magalhães Moura Da
    O trabalho de Daniel e Titman (1997) abriu espaço para uma nova discussão sobre se o prêmio do retorno dos ativos está relacionado com o tamanho e o índice book-to-market das empresas por se tratarem de características da empresa ou por serem proxies de fatores de risco, como sugerido por Fama e French (1993). O objetivo dessa dissertação é avaliar se os retornos médios dos ativos no mercado acionário brasileiro são melhor explicados pelo modelo de fatores de risco ou pelo modelo de características. Nesse trabalho, foram consideradas todas as empresas cotadas na Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros de São Paulo no período de 1995 a 2013. Os resultados encontrados sugerem que o modelo de fatores de risco em alguns momentos explica melhor o retorno médio dos ativos do mercado acionário brasileiro do que o modelo de características.