Resultados de Busca

Agora exibindo 1 - 10 de 16
  • Trabalho de Conclusão de Curso
    Modelos econômicos e redução de incertezas no planejamento estratégico
    (2021) Setti, Otavio Zocchio
    O desenvolvimento econômico ao longo dos anos foi marcado por novas descobertas e pela globalização, que possibilitou a vertiginosa expansão das empresas. Apesar do surgimento de novas técnicas econométricas e de modelos complexos, abrolharam também técnicas efetivas e de uso simples. A expansão das empresas, por mais que benéfica para muitos, trouxe consigo novos riscos. Com o aumento da exposição a diversos riscos, as empresas, cada vez mais, devem atentar-se às previsões acerca do futuro a fim de evitar grandes perdas. Nesse sentido, este trabalho tem como objetivo apresentar técnicas de previsão de recessão e de câmbio visando ao desenvolvimento de áreas focadas na Visão Estratégica de empresas.
  • Dissertação
    A influência dos ciclos eleitorais na condução de política monetária
    (2016) Morbach, Carlos Alberto Amaral Santos
    Este estudo analisa o comportamento da taxa básica de juros em uma amostra de 108 países, com o objetivo de documentar a presença de ciclos eleitorais na condução de política monetária, isto é, a existência de comportamentos oportunistas por parte do governo e banco central. Para tanto, estima-se uma regra de Taylor, incluindo variáveis dummy de eleição, que buscam sinalizar a presença de eleição no período. Utilizando os dados em painel, os países são agrupados de acordo com o grau de restrições impostas ao poder executivo, de modo a possibilitar uma segunda análise dos países. Os resultados apontam indícios de manipulação da taxa de juros, o que também é visto no conjunto que impõem um nível intermediário e forte de limitações ao poder executivo.
  • Trabalho de Conclusão de Curso
    A sensibilidade da estrutura de capitais das empresas a taxa básica de juros
    (2010) Diederichsen, Fernando Nascimento
    O objetivo deste trabalho é verificar se há alguma relação empírica entre os movimentos da taxa básica de juros da economia com o endividamento total das empresas pesquisadas. O período de análise foram os anos de 2003 a 2007. Foram utilizadas regressões croos-section para cada período com as variáveis em nível. Os resultados obtidos no modelo final não foram conclusivos, pois não foi possível validar os modelos econométricos para fazer inferências validas acerca dos estimadores.
  • Trabalho de Conclusão de Curso
    O impacto da expansão do mercado de crédito brasileiro na política monetária do banco central
    (2009) Lamy, Danilo Vieira
    O mercado de crédito tem se expandido fortemente no Brasil ao longo da última década. Como este é um setor que tem o poder de aumentar o efeito multiplicador da moeda e a renda intertemporal dos indivíduos, é de suma importância que seja estudado seu impacto na economia e seja verificado se a presença deste setor é um fator que influencia a decisão de política monetária tomada pelo Banco Central. Com isso, é analisado no presente estudo se de fato o crescimento do mercado de crédito tem influenciado na tomada de decisão da taxa de juros básica do país e qual a dinâmica que se segue da expansão deste setor no lado real da economia e na inflação. A existência de um “Canal de Crédito” no Brasil possibilita que a autoridade monetária tenha mais um canal de transmissão de suas políticas, além do tradicional canal moeda/taxa de juros que é explicado pela visão monetária, fazendo com que mudanças mais suaves na taxa de juros também sejam bastante efetivas no controle da demanda agregada da economia. Assim, o Banco Central pode atingir seus objetivos sem o uso de grandes variações na taxa de juros.
  • Trabalho de Conclusão de Curso
    Os impactos da taxa de juros no retorno e na volatilidade do índice BOVESPA
    (2009) Machado, Rubens Nunes
    O presente estudo visa buscar as relações entre taxa de juros e retorno do IBovespa, tanto no nível quanto na variância. A análise foi feita com base em modelos de heterocedasticidade condicional (GARCH) e dados entre 2000 e 2008. Concluiu-se que o retorno desse índice é mais bem ajustado se estimado em dependência da taxa de juros, tanto no nível quanto na variância. Alem do mais, empiricamente, provou-se que a taxa de juros afeta negativamente o retorno do IBovespa e positivamente a sua volatilidade.
  • Dissertação
    Apreçamento da convexidade de ativos indexados ao percentual do CDI nos modelos de vasicek e cox-ingersoll-Ross
    (2010) Yam, Erica Pui Lan
    Devido à convexidade intrínseca dos ativos indexados ao percentual do CDI, o resultado esperado desses ativos que tenham seu risco de delta neutralizado com contratos de futuros de DI é diferente de zero. Esse resultado esperado, que chamaremos de prêmio de convexidade, deve ser incorporado ao preço do ativo em questão no momento de sua negociação, embora o mercado geralmente ignore este efeito. Utilizamos os modelos de taxa de curto prazo Vasicek e Cox-Ingersoll-Ross para a obtenção de fórmulas fechadas deste prêmio de convexidade. Sugerimos também as opções do IDI como produto natural a ser utilizado para extrairmos as estimativas dos parâmetros requeridos pelas fórmulas e também como o instrumento de mercado a ser empregado para fins de hedge da convexidade. Fazemos a análise de sensibilidade das fórmulas obtidas e simulamos sua utilização em uma carteira onde é feito hedge de delta e vega, empregando opções do IDI e futuros de DI de mesmo prazo da operação. Os resultados dessas simulações com tais fórmulas são parecidos e satisfatórios para o período analisado.
  • Trabalho de Conclusão de Curso
    Política monetária: uma perspectiva sobre estabilidade e linearidade
    (2011) Guimarães, Cláudia Queruz
    A regra de Taylor original assume uma relação simples entre taxa de juros, inflação e hiato do produto. A partir desta regra, o presente trabalho tem três principais objetivos: propõe-se a levantar alguns dos principais estudos sobre o assunto, avaliar a política monetária brasileira da última década através de uma simples regra de Taylor e, finalmente, procura evidências sobre a possibilidade do Federal Reserve não seguir um comportamento linear em relação à regra de Taylor. Conclui-se que o Banco Central do Brasil nos últimos anos tem feito um esforço efetivo para buscar a estabilidade de preços, outra conclusão deste trabalho é que não se pode descartar a hipótese de que uma regra de política monetária não linear possa explicar o comportamento do Federal Reserve, assim, deve-se atentar para as diversas ameaças ligadas a não linearidade de política monetária.
  • Trabalho de Conclusão de Curso
    O Impacto da política monetária no mercado acionário brasileiro
    (2015) Simon, Ricardo Garin Ribeiro
    Este trabalho objetivou verificar o quanto uma mudança na taxa básica de juros (SELIC) pode impactar para o retorno do mercado acionário brasileiro no dia seguinte a reunião do Comitê de Política Monetária. Através de uma análise econométrica será verificada e quantificada a interferência das decisões do COPOM para o Ibovespa. Foi utilizada uma metodologia semelhante àquela desenvolvida por Bernanke e Kuttner (2004) adaptada ao cenário brasileiro. Intuitivamente, acredita-se que uma elevação na taxa de juros tornaria o investimento em renda variável menos atraente e, dessa forma, tenderia a prejudicar o retorno do mercado brasileiro no seguinte pregão; todavia, as políticas monetárias muitas vezes já estão previstas pelo mercado e dessa forma possivelmente precificadas. Assim este trabalho também testará a eficiência de mercado na interação entre política monetária e retornos acionários.
  • Trabalho de Conclusão de Curso
    Contradições da nova matriz econômica do governo Dilma: porque a redução de juros não estimulou a taxa de investimento?
    (2015) Nicolau, Luis Fernando Rodrigues
    A nova matriz econômica consiste de uma política macroeconômica brasileira instituída no inicio do mandato da atual presidente da república Dilma Rousseff. A política, de cunho desenvolvimentista, consiste no abandono do tripé econômico, e tem como objetivo o estímulo da economia. Os resultados procurados são o aumento das taxas de crescimento do produto, aumento da taxa de investimento entre outros fatores. Um dos principais mecanismos utilizados pela nova matriz econômica para o atingimento de suas metas foi a redução da taxa básica de juros. Apesar dos esforços empreendidos, até o presente momento, não houve evidências que corroboram com o sucesso do plano de aumentar a taxa de investimento como porcentagem do PIB. As baixas taxas de crescimento do produto estão sendo acompanhadas de inflação e deterioração das contas públicas. Assim o presente trabalho tem a intenção de descobrir quais fatores resultaram na falta de crescimento na taxa de investimento na economia brasileira. Para isso, primeiramente, será feito um estudo acerca da literatura já disponível, a fim de obter as variáveis que determinam a taxa de investimento para o caso brasileiro. Com tal embasamento teórico, será possível analisar, estatisticamente, a magnitude do efeito de cada variável sobre a taxa de investimento, e assim determinar quais fatores se sobressaíram à queda dos juros básicos e resultaram no fracasso dos planos da nova matriz econômica do governo primeiro de Dilma Rousseff.
  • Trabalho de Conclusão de Curso
    O impacto de variáveis macroeconômicas na atividade de fusões e aquisições no mercado brasileiro
    (2017) Silva, Ricardo Chaves Miranda
    O mercado de fusões e aquisição tem ganhado cada vez mais força no Brasil quando se olha o número de operações realizadas. Conforme o mercado retoma sua atividade, espera-se que mais empresas comprem outras ou se juntem para tentar expandir seu mercado de abrangência e ganhar novas vantagens competitivas. O propósito deste estudo é verificar como o ambiente macroeconômico afeta o volume de fusões e aquisições no mercado brasileiro e quais variáveis possuem, se possuírem, maior influência na prosperidade da atividade de F&A. O volume é medido através do valor total em milhões de reais das transações completadas entre junho de 1994 e dezembro de 2016. Para estudar a possível influência do ambiente macroeconômico foram utilizados o índice Ibovespa, a taxa de juros Selic, o dólar médio, a inflação medida através do IPCA e a variação do Produto Interno Bruto do Brasil. Ademais, foi montado um modelo de regressão linear com dados de séries temporais para verificar se, além dessas variáveis, existe influência intertemporal de volumes anteriores no atual volume de F&A. O que se conclui é que variáveis macroeconômicas não possuem influência significativa sobre o volume total de fusões e aquisições transacionado no período, mas o volume do trimestre anterior e o de três trimestres anteriores afetam o volume atual.