Ágio na subscrição de quotas

Carregando...
Imagem de Miniatura
Orientador
Kleindienst, Ana Cristina Von Gusseck
Co-orientadores
Tipo de documento
Trabalho de Conclusão de Curso
Data
2017
Título da Revista
ISSN da Revista
Título do Volume
Projetos de Pesquisa
Unidades Organizacionais
Fascículo
Resumo
As Sociedades de Responsabilidade Limitada sempre foram vítimas de um vazio normativo em nosso ordenamento jurídico. Desde a edição do Decreto nº 3.708/1919 o conteúdo normativo dedicado à está espécie societária é escasso. A introdução do Código Civil de 2002 não mudou este cenário. Isso ocasionou uma dependência secular deste tipo às normas dedicadas às Sociedades por Ações. Em contrapartida, a legislação tributária sempre acompanhou às alteração na lei comercial dedicadas às Sociedades por Ações, de forma que os institutos jurídico-tributário previstos, ainda que potencialmente aplicáveis às Sociedades Limitadas, eram confeccionados aos nuances das Sociedades por Ações. O “Ágio decorrente da emissão de quotas por valor superior ao nominal” é figura que representa acertadamente este cenário. Este trabalho busca resgatar a intenção dos legisladores das normas societárias e tributárias, elucidando a natureza e o conceito dos institutos introduzidos, principalmente pela Lei nº 6.404/76 e pelo Decreto-lei nº 1.598/77, a fim de, através de uma análise interdisciplinar, incluindo também a ciência contábil, examinar a validade da norma tributária e sua (in)aplicabilidade à Sociedade de Responsabilidade Limitada. Conceitos intermediários de outras áreas do direito serão estudadas sob à égide tributária, respeitando os contornos e limites desta, a fim de, acostada na doutrina tradicional, alcançar conclusão justa e compatível com o atual ordenamento jurídico-tributário. Isto, para caracterizar, ou não, a sujeição do Ágio mencionado ao Imposto de Renda de Pessoa Jurídica.

Titulo de periódico
Título de Livro
Idioma
Português
Notas
Membros da banca
Área do Conhecimento CNPQ
Citação