Sociedades de economia mista: uma análise das medidas cabíveis aos acionistas minoritários contra o acionista majoritário

Carregando...
Imagem de Miniatura
Orientador
Buzatto, Ana Cristina Von Gusseck Kleindienst
Co-orientadores
Tipo de documento
Trabalho de Conclusão de Curso
Data
2018
Título da Revista
ISSN da Revista
Título do Volume
Projetos de Pesquisa
Unidades Organizacionais
Fascículo
Resumo
O conflito de interesses é condição inerente à natureza das sociedades de economia mista, posto que reúna personagens oriundos de lados diferentes, considerada a antiga dicotomia com que se concebia o Direito – Público e Privado – personagens estes que têm como objetivos principais, ao empreender, metas também diferentes – a satisfação do interesse público de uma banda e o lucro máximo de outra – sob o comando do majoritário acionista estatal, de vez que é também de sua natureza, por lei, que ao Estado caiba o controle das atividades desenvolvidas, pela propriedade da maioria das ações com direito a voto. Esta estrutura, originalmente desequilibrada em favor do Estado, nada obstante seja de conhecimento prévio de tantos quantos a ela pretendam aderir, gera desequilíbrio entre as partes contratantes, cuja tendência é se acentuar durante o desenvolvimento dos trabalhos e na medida em que se intensifiquem os negócios. O presente trabalho tem por objetivo pesquisar e apresentar os meandros desta construção técnica, pessoa jurídica de direito privado, denominada sociedade de economia mista, primeiramente, visitando-lhe as origens, suas características principais, buscando compreender sobre como e por que da preferência em sua adoção, como modelo de casamento do capital público com o privado, pelo Estado brasileiro, para, no momento seguinte, expor e discutir as bases e princípios jurídicos que lhe norteiam a conduta e dão sustentação no modo como existe atualmente, procedendo-se uma análise crítica, no âmbito do regime jurídico que se aplica especificamente a esta espécie de sociedade, para, em conclusão, pesquisar, identificar e apresentar os meios jurídicos e instrumentos de reivindicação judicial erigidos pelo legislador brasileiro em favor dos acionistas minoritários, cuja finalidade é estabelecer o equilíbrio, senão ideal, ao menos o possível para que haja condição de convivência e progresso na relação entre os sócios, e que possibilite ao empreendimento não somente sobreviver, mas, fundamentalmente, se mostrar viável e capaz de alcançar os objetivos que tornaram necessária sua criação.

Titulo de periódico
Título de Livro
Idioma
Português
Notas
Membros da banca
Buzatto, Ana Cristina Von Gusseck Kleindienst
Área do Conhecimento CNPQ
Citação