Seleção de portfólio e investimentos socialmente responsáveis: uma aplicação ao caso brasileiro

Carregando...
Imagem de Miniatura
Orientador
Minardi, Andrea Maria Accioly
Co-orientadores
Tipo de documento
Relatório de Iniciação Científica
Data
2020
Título da Revista
ISSN da Revista
Título do Volume
Projetos de Pesquisa
Unidades Organizacionais
Fascículo
Resumo
Percebe-se ao longo dos anos um crescimento na importância dos investimentos sustentáveis. Além disso, verifica-se no mercado financeiro um processo de reconhecimento de que o ESG (Environmental/Social/Governance) pode ser um fator de risco a ser internalizado na análise. Quando analisada a literatura sobre o assunto, observa-se que essa é inconclusiva sobre ESG ser ou não um fator de risco, assim como também não se sabe se a adoção de melhores práticas impacta positivamente no retorno ajustado ao risco das companhias, por diminuir os riscos de longo prazo. O objetivo do presente trabalho é testar essa questão no ambiente brasileiro. Para isso adotou-se o modelo de Carhart combinado a um fator ESG. Esse fator ESG tem como proxy uma dummy que indica se a ação de determinada empresa estava incluída ou não no ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial) da B³, naquele respectivo ano. Ao longo do artigo será discutido a abordagem da literatura quanto aos fatores relevantes para a tomada de decisão, no processo de construção de portfólio. Em contrapartida, serão expostos estudos que buscaram discutir sobre a inclusão de variáveis ligadas ao comportamento do investidor socialmente responsável. Foram Analisadas séries de retorno das ações transacionadas na bolsa brasileira, entre janeiro de 2010 e janeiro de 2020. O artigo encontrou uma relação negativa entre a proxy ESG selecionada e o retorno dos ativos.

Titulo de periódico
Título de Livro
Idioma
Português
Notas
Membros da banca
Minardi, Andrea Maria Accioly
Área do Conhecimento CNPQ
Citação