Crise e Mercado de Trabalho: uma comparação entre recessões

Carregando...
Imagem de Miniatura
Autores
Manni, Stefanno Ruiz
Komatsu, Bruno Kawaoka
Orientador
Co-orientadores
Tipo de documento
Relatório de pesquisa
Data
2017
Título da Revista
ISSN da Revista
Título do Volume
Projetos de Pesquisa
Unidades Organizacionais
Fascículo
Resumo
Este texto apresenta um panorama do mercado de trabalho em dois períodos de recessão econômica, traçando a trajetória dos principais indicadores: taxa de desemprego, salário real médio, salário domiciliar per capita e medidas de desigualdade da renda. Os períodos escolhidos foram os anos de 1996 a 2003 e de 2012 a 2016. Os indicadores citados são comparados entre os dois intervalos, buscando identificar quais são as semelhanças e diferenças entre a crise atual e a crise que se iniciou em meados da década de 90. Foram ainda produzidos os mesmos indicadores para três desagregações: faixa etária, anos de estudo e condição no domicílio. Assim, é possível identificar quais grupos são os mais afetados em momentos de diminuição da atividade econômica. É verificado que a taxa de desemprego aumentou mais e mais rapidamente na atual recessão do que de 1996 a 2003. Já os rendimentos do trabalho principal se mantiveram estáveis entre 2012 e 2016, enquanto sofreram forte queda no período anterior. Os jovens e as pessoas com 9 a 11 anos de estudo apresentam a maior taxa de desemprego nos dois períodos, apesar de não serem os grupos com o maior aumento da desocupação a partir do início da recessão. O desemprego na recessão atual aumentou mais para pessoas com 50 anos ou mais de idade.

Titulo de periódico
Título de Livro
Idioma
Português
Notas
Membros da banca
Área do Conhecimento CNPQ
Ciências Sociais Aplicadas
Citação