Uma Proposta de Ampliação do Programa Bolsa-Família para Diminuir a Pobreza Infantil

Carregando...
Imagem de Miniatura
Autores
Komatsu, Bruno Kawaoka
Orientador
Co-orientadores
Tipo de documento
Relatório de pesquisa
Data
2020
Título da Revista
ISSN da Revista
Título do Volume
Projetos de Pesquisa
Unidades Organizacionais
Fascículo
Resumo
Nesse artigo elaboramos uma proposta de ampliação do programa bolsa-família, com foco nas famílias com crianças de 0 a 6 anos de idade. As transferências focalizadas nas famílias com crianças são justificadas pela restrição de recursos disponíveis e porque os investimentos nos primeiros anos de vida das pessoas geram os maiores retornos para a sociedade como um todo. Utilizando dados de 2019, simulamos os efeitos de transferências de diferentes valores, abrangência e beneficiários sobre a pobreza infantil e calculamos o custo associado a cada uma das modalidades. Nossos resultados mostram que as transferências de renda para as famílias pobres são mais eficientes do que a transferência para todas as famílias com crianças para reduzir a pobreza infantil. Além disso, quanto melhor for a focalização das transferências para famílias pobres, mais eficiente será o gasto. Por exemplo, transferir R$800 por mês por criança de 0/6 anos de idade em famílias pobres (supondo focalização perfeita) e mantendo o PBF atual para as famílias sem crianças custaria R$ 69 bilhões e a pobreza nas famílias com crianças cairia de 25% para 7%. Nesse cenário 4 milhões de crianças sairiam da pobreza. Se ampliarmos a faixa etária para 0/12 anos de idade, o novo programa social custaria R$ 110 bilhões e a pobreza nas famílias com crianças nessa faixa etária cairia para 4, com 8,6 milhões de crianças nessa faixa etária saindo da pobreza. A focalização do programa bolsa-família pode ser melhorada se todas as famílias potencialmente pobres e não cobertas pelo programa usarem o aplicativo que foi desenvolvido pelo governo para o pagamento da renda básica emergencial. E os recursos para financiar o aumento de gastos deveriam vir de uma reforma tributária que tributasse todas as rendas auferidas pelas pessoas segundo as alíquotas do IRPF, independentemente da fonte dos recursos, sejam eles lucros e dividendos, juros sobre o capital próprio, trabalho formal ou empresas que operam em regimes especiais, como o “Simples”.

Titulo de periódico
Título de Livro
Idioma
Português
Notas
Membros da banca
Área do Conhecimento CNPQ
Ciências Sociais Aplicadas
Citação