Considerações sobre intervencionismo, passivo fiscal e recuperação judicial

Carregando...
Imagem de Miniatura
Orientador
Roque, Pamela Gabrielle Romeu Gomes
Co-orientadores
Tipo de documento
Trabalho de Conclusão de Curso
Data
2021
Título da Revista
ISSN da Revista
Título do Volume
Projetos de Pesquisa
Unidades Organizacionais
Fascículo
Resumo
Este artigo parte de uma análise da Constituição Federal para apontar o intervencionismo do Estado brasileiro, pautando, com indicadores e conceitos econômicos, a relação entre intervencionismo e recuperação judicial. Em seguida, aborda a recuperação judicial, seus conceitos e finalidades, com aspectos práticos. Também se analisa o Estado, enquanto credor, e a promoção de atos constritivos em execuções fiscais de empresas em recuperação judicial. Após, pondera-se a interferência do Estado na recuperação judicial, ainda que não lhe seja sujeito, na perseguição de seu crédito. Por fim, conclui-se que o intervencionismo está relacionado à Constituição Federal e impacta nas relações entre Estado-credor e empresas em crise; a estas sugerindo-se que, antes mesmo do pedido de recuperação judicial, estruturem o pagamento do passivo fiscal, alinhando-o aos pagamentos dos créditos extraconcursais e dos sujeitos à recuperação judicial (três linhas de ação), de modo que todos caibam na sua disponibilidade financeira, como estratégia da reestruturação empresarial.

Titulo de periódico
Título de Livro
Idioma
Português
Notas
Membros da banca
Área do Conhecimento CNPQ
Ciências Sociais Aplicadas
Citação