O impacto das finanças comportamentais nas decisões financeiras de investidores

Carregando...
Imagem de Miniatura
Orientador
Rocha, Ricardo Humberto
Co-orientadores
Tipo de documento
Trabalho de Conclusão de Curso
Data
2015
Título da Revista
ISSN da Revista
Título do Volume
Projetos de Pesquisa
Unidades Organizacionais
Fascículo
Resumo
A partir da década de 1970, uma série de experimentos inicialmente liderados pelos psicólogos Kahneman e Tversky passaram a apresentar resultados incompatíveis com alguns pilares das finanças tradicionais, em particular com a Teoria da Utilidade Esperada. Destes resultados, surgiu o ramo das finanças comportamentais, que vem ganhando crescente importância tanto no mundo acadêmico quanto no corporativo. Mas apesar da ampla gama de recentes estudos dentro deste ramo, ainda é bastante controverso os reais efeitos da psicologia nas decisões financeiras de pessoas e empresas, especialmente quando consideramos profissionais da área de finanças. Este trabalho visa a observar e mensurar o efeito de vieses e heurísticas comportamentais no processo de tomada de decisões financeiras por parte de investidores, analisando ainda diferenças com os impactos em indivíduos fora do mercado financeiro. Inicialmente será realizada uma revisão bibliográfica consolidando os principais pontos de conflito entre as Finanças Tradicionais e as Finanças Comportamentais, o que serviu de diretriz para a elaboração de um questionário que, aplicado às amostras selecionadas, proporciona uma evidência empírica de supostos impactos comportamentais na tomada de decisões financeiras. Com o intuito de medir o efeito em investidores, foi utilizada como amostra membros da comunidade Insper. Os resultados mostram que mesmo indivíduos que possuem conhecimento do mercado financeiro estão sujeitos aos vieses e heurísticas previstos pelas Finanças Comportamentais, mas em menor intensidade.

Titulo de periódico
Título de Livro
Idioma
Português
Notas
Membros da banca
Venezuela, Maria Kelly
Área do Conhecimento CNPQ
Citação