Impacto das práticas Esg no preço das ações

Carregando...
Imagem de Miniatura
Orientador
Minardi, Andrea Maria Accioly Fonseca
Co-orientadores
Tipo de documento
Trabalho de Conclusão de Curso
Data
2023
Título da Revista
ISSN da Revista
Título do Volume
Projetos de Pesquisa
Unidades Organizacionais
Fascículo
Resumo
Iniciativas ESG têm suas origens traçadas até a década de 60, período durante o qual investidores começaram a descartar títulos ou mesmo segmentos inteiros de suas carteiras, sustentando-se em práticas virtuosas de ordem ambiental, social e de governança (Environmental, Social and Governance). Em consequência, áreas como fabricação de tabaco ou armamentos bélicos viram um decréscimo em financiamentos. Atualmente, ponderações éticas e a correspondência de princípios ainda são inspirações usuais de diversos investidores ESG, contudo, o campo se amplificou na procura por absorver tais hábitos na concretude financeira. Os aspectos ESG, agora, são integrados ao método de investimento, aliados à avaliação financeira convencional. Dado tal cenário, o propósito deste artigo é verificar se, de fato, os parâmetros ligados a preocupações ecológicas, à promoção da diversidade empresarial, e à valorização dos interesses dos clientes em detrimento dos acionistas, estão sendo assimilados na avaliação financeira realizada pelos investidores. Essa incorporação deveria refletir-se em uma apreciação mais acentuada das corporações que cumprem esses critérios, e, por consequência, um rendimento superior de seus títulos. Para isso, será estruturado um painel com dados dos títulos que compõem o Ibovespa, na busca de encontrar correlação entre o progresso das iniciativas ESG ao longo dos anos e o avanço do retorno desses ativos no mesmo intervalo temporal. O pressuposto fundamental a ser verificado é o de que, dada a crescente relevância do tema na sociedade, a adoção de medidas ESG realçaria a apreciação da qualidade dos ativos pelos investidores, o que subsequentemente elevaria o valor de mercado da empresa

ESG initiatives can be traced back to the 1960s, a period during which investors began to discard stocks or even entire sectors from their portfolios, relying on virtuous environmental, social, and governance (ESG) practices. As a result, areas such as tobacco manufacturing or military weaponry saw a decrease in funding. Nowadays, ethical considerations and the alignment of principles are still common inspirations for many ESG investors, however, the field has expanded in search of absorbing such habits into financial tangibility. ESG aspects are now integrated into the investment method, allied to conventional financial evaluation. Given this scenario, the purpose of this article is to verify whether, in fact, parameters related to ecological concerns, the promotion of corporate diversity, and the prioritization of customer interests over shareholders, are being assimilated into the financial evaluation performed by investors. This incorporation should be reflected in a higher appreciation of corporations that fulfill these criteria, and consequently, a higher return on their stocks. For this, a panel will be structured with data from the stocks that make up the Ibovespa, in search of finding a correlation between the progress of ESG initiatives over the years and the advance of the return of these assets in the same time span. The fundamental assumption to be verified is that, given the growing relevance of the theme in society, the adoption of ESG measures would enhance the appreciation of the quality of assets by investors, which would subsequently raise the market value of the company

Titulo de periódico
Título de Livro
Idioma
pt
Notas
Membros da banca
Área do Conhecimento CNPQ
CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS
Citação