Uma avaliação dos componentes da hiperinflação brasileira pré-Plano Real

Carregando...
Imagem de Miniatura
Orientador
Vieira, Heleno Piazentini
Co-orientadores
Tipo de documento
Trabalho de Conclusão de Curso
Data
2022
Título da Revista
ISSN da Revista
Título do Volume
Projetos de Pesquisa
Unidades Organizacionais
Fascículo
Resumo
O presente trabalho tem como objetivo realizar uma avaliação acerca dos componentes causadores da hiperinflação que perdurou no Brasil dos anos 1980 até a criação do Plano Real, em 1994. Para tal, será utilizada uma metodologia de revisão de literatura, a fim de criar um sólido arcabouço teórico que explique o processo hiperinflacionário brasileiro. As literaturas a serem retomadas neste trabalho incluem teorias econômicas clássicas sobre inflação e hiperinflação e pesquisas de notáveis economistas relacionadas ao caso estudado. Na revisão de literatura, viu-se que os processos inflacionários podem ser causados pela expansão monetária decorrente do déficit público, à luz da Teoria Quantitativa da Moeda e da visão monetarista, ou por conflitos distributivos e estrangulamentos de oferta, como postulou a vertente estruturalista. Posteriormente, ganhou espaço na literatura a visão inercialista da inflação, que derivava dos estruturalistas. Os inercialistas compreendiam a existência de um comportamento inercial na inflação, ao notarem que a inflação depende da inflação passada. Em seguida, foi feita uma análise da conjuntura macroeconômica brasileira de 1980 a junho de 1994. A crise da dívida externa, o esgotamento dos modelos de desenvolvimento econômico e a inflação crônica e crescente marcaram o período analisado. Por fim, concluiu-se que o alto grau de indexação da economia, a inércia inflacionária e o desajuste das contas públicas são componentes que explicam o processo hiperinflacionário no Brasil.

Titulo de periódico
Título de Livro
Idioma
Português
Notas
Membros da banca
Leite Neto, Fernando Ribeiro
Área do Conhecimento CNPQ
Ciências Exatas e da Terra
Citação