Crise Européia: questões institucionais e culturais de Alemanha e Grécia

Carregando...
Imagem de Miniatura
Co-orientadores
Tipo de documento
Trabalho de Conclusão de Curso
Data
2013
Título da Revista
ISSN da Revista
Título do Volume
Projetos de Pesquisa
Unidades Organizacionais
Fascículo
Resumo
No início de 2010 uma crise econômica assolou a Europa, a fragilidade da união entre os países da zona do Euro foi escancarada. Durante a crise as soluções macroeconômicas para ela foram apresentadas, mas com pouco sucesso em suas implementações. Para explicar os porquês de isso ocorrer, invoca-se o economista ganhador do prêmio Nobel Douglass North e sua teoria institucional. Para que uma política econômica seja implantada com sucesso, se faz necessária uma matriz institucional sólida que favoreça a eficiência. Aprofundando-se na questão sabe-se que os valores, a cultura darão os ditames das regras do jogo, das instituições. Dois países ocuparam posições opostas durante a crise, são eles Alemanha e Grécia, com austeridade fiscal e descontrole fiscal respectivamente. Assim sendo, este trabalho pretende criar, a partir da teoria do sociólogo Max Weber, o tipo ideal Alemão e comparar o seu comportamento ao dos gregos. A partir do tipo ideal será construída a matriz institucional e dela se chegará ao discorrer econômico.

Titulo de periódico
Título de Livro
Idioma
Português
Notas
Membros da banca
Área do Conhecimento CNPQ
Citação