Estudo dos Determinantes do Juro Real de Equilíbrio no Brasil sob a ótica das Dinâmicas Demográficas e da Desigualdade de Renda (2002-2021)

Carregando...
Imagem de Miniatura
Co-orientadores
Tipo de documento
Dissertação
Data
2021
Título da Revista
ISSN da Revista
Título do Volume
Projetos de Pesquisa
Unidades Organizacionais
Fascículo
Resumo
Este trabalho explora o impacto das dinâmicas demográficas e da desigualdade de renda sobre a taxa de juro real de equilíbrio no Brasil, tema este que tem sido analisado nos últimos anos em economias desenvolvidas sob a hipótese de estagnação secular, mas que não possui ainda ênfase nos modelos de estimação domésticos. Opta-se pela diferenciação entre o juro real de equilíbrio de curto e longo prazo. A principal contribuição do estudo é a incorporação de variáveis demográficas-sociais no modelo de estimação do juro real de equilíbrio de longo prazo proposto por Goldfajn e Bicalho (2011), de forma a rastrear e mensurar seus efeitos. Os resultados apontam, a partir de um modelo de regressão baseado em fundamentos e que utiliza técnicas de cointegração (FMOLS), para uma queda estrutural da taxa de juro real no Brasil de 10,7 pontos percentuais nos últimos vinte anos. Demonstra-se que praticamente metade do movimento de queda pode ser explicada pela desaceleração do crescimento populacional e a maior desigualdade de renda no Brasil. O desenvolvimento do sistema financeiro, a menor persistência da inflação estrutural e uma queda na taxa de juro externa explicam a parcela remanescente, mais do que compensando uma contribuição positiva advinda da maior incerteza política-fiscal. Isto deve contribuir para um crescente debate sobre o impacto de fatores sociais e demográficos sobre a taxa de juro de equilíbrio no Brasil nos próximos anos. Apresenta-se, adicionalmente, a partir das estimativas de uma Curva IS, os diversos fatores conjunturais que afetaram a taxa de juro de equilíbrio desde 2002, definido como o juro real de equilíbrio de curto prazo: mudanças no crescimento da atividade econômica global, como visto nas crises de 2008 e 2020, nos impulsos fiscais e nos termos de troca, por exemplo, afetaram em caráter temporário o juro real de equilíbrio doméstico.

Titulo de periódico
Título de Livro
Idioma
Português
Notas
Membros da banca
Muinhos, Marcelo Kfoury
Área do Conhecimento CNPQ
Ciências Exatas e da Terra
Citação