Utilizando o desemprego de curto prazo na curva de Phillips brasileira

Carregando...
Imagem de Miniatura
Co-orientadores
Tipo de documento
Dissertação
Data
2018
Título da Revista
ISSN da Revista
Título do Volume
Projetos de Pesquisa
Unidades Organizacionais
Fascículo
Resumo
A relação entre inflação e desemprego, trazida por Phillips em 1958, embora intuitiva sempre foi alvo de estudos econométricos que procurassem validar sua evidência empírica. Especialmente em 2008, com o enigma da ausência de deflação durante a crise americana, o modelo foi novamente questionado. Uma das explicações para o enigma foi a ancoragem das expectativas com o regime de metas de inflação, aumentando sua rigidez. Outra explicação foi a diferença entre o desemprego de curto prazo, em relação ao desemprego total. Os trabalhadores desempregados a pouco tempo teriam mais influência na inflação, enquanto os desempregados a mais tempo poderiam não ter força para influenciar seus salários. Ambas as explicações melhoraram a aderência da curva de Phillips para os dados americanos. Neste trabalho foi utilizada a abordagem do desemprego de curto prazo para os dados brasileiros, e também foi encontrada evidência de melhora na aderência do modelo aos dados brasileiros.

Titulo de periódico
Título de Livro
Idioma
Português
Notas
Membros da banca
Carvalho, Carlos Viana De
Área do Conhecimento CNPQ
Citação