Análise da competição do setor bancário nos países da América Latina

Carregando...
Imagem de Miniatura
Orientador
Barbosa, Klenio De Souza
Co-orientadores
Tipo de documento
Dissertação
Data
2017
Título da Revista
ISSN da Revista
Título do Volume
Projetos de Pesquisa
Unidades Organizacionais
Fascículo
Resumo
Neste trabalho, buscou-se analisar a competição bancária para os países da região da América Latina após a crise de 2008 – mais especificamente no período de 2013 a 2016 – pois regulamentações prudenciais foram adotadas com a finalidade de evitar instabilidade no setor financeiro. Entretanto, as próprias medidas prudenciais implicam o aumento da concentração e a redução competição bancária. Para a estimação do grau de competição, aplicou-se o modelo de Panzar e Rosse (1987). Esse arcabouço é amplamente utilizado em diversos estudos sobre competição bancária, porém poucos com foco na América Latina no período póscrise de 2008. Ademais, foram analisados alguns fatores determinantes de competição, tais como restrição de atividade, restrição de participação estrangeira, o indicador de requerimento de capital e o indicador de participação do governo. Essas informações foram relacionadas com os resultados obtidos dos modelos de Panzar e Rosse (1987) como meio de relacionar com a competição de mercado. Como resultado, para os países analisados, a estrutura de competição predominante na América Latina é tanto a de monopólio e quanto a de competição monopolística. Além disso, a restrição de atividade apresentou relação negativa no aumento da competição bancária em termos de restrição de oferta de ativos, bem como o indicador de requerimento de capital, ao passo que tanto a participação estrangeira quanto o indicador de participação do governo não têm relação com o grau de competição.

Titulo de periódico
Título de Livro
Idioma
Português
Notas
Membros da banca
Teixeira, Anderson Mutter
Área do Conhecimento CNPQ
Citação