O impacto de capital humano, capital social e práticas gerenciais na sobrevivência de empresas nascentes: um estudo com dados de pequenas empresas no Estado de São Paulo

Carregando...
Imagem de Miniatura
Autores
Mizumoto, Fabio Matuoka
Hashimoto, Marcos
Bedê, Marco Aurelio
Orientador
Co-orientadores
Tipo de documento
Trabalho de Evento
Data
2008
Título da Revista
ISSN da Revista
Título do Volume
Projetos de Pesquisa
Unidades Organizacionais
Fascículo
Resumo
A literatura tem encontrado que firmas menores e mais jovens têm, em geral, maior risco de fechamento do que empresas maiores e já estabelecidas no seu setor. O objetivo da nossa pesquisa é examinar empiricamente o impacto de três fatores que podem prolongar a sobrevivência de empresas nascentes: o capital humano do empreendedor, o seu capital social, e a adoção práticas gerenciais após a nova firma ser aberta. Com base na amostra de 1.961 empresas abertas e registradas na JUCESP (Junta Comercial do Estado de São Paulo) entre os anos de 1999 e 2003, realizamos um estudo de cunho quantitativo para examinar a probabilidade de sobrevivência destas empresas. Algumas variáveis se mostraram estatisticamente significantes para explicar a probabilidade de sobrevivência da empresa nascente – dentre elas, o grau de escolaridade do empreendedor e sua preparação prévia antes de abrir ao negócio (relacionados ao seu capital humano), a existência de pessoas na família com negócios similares (relacionada ao seu capital social) e, principalmente, a adoção de práticas gerenciais tais como a busca de antecipar acontecimentos e a procura por informações relevantes. Estes resultados ressaltam a necessidade de considerar elementos de diferentes abordagens teóricas visando explicar as chances de sobrevivência de novos empreendimentos.

Titulo de periódico
Título de Livro
Idioma
Português
Notas
Membros da banca
Área do Conhecimento CNPQ
Ciências Sociais Aplicadas
Citação