Licensing versus investimento direto estrangeiro: uma tentativa de correção de endogeneidade

Carregando...
Imagem de Miniatura
Co-orientadores
Tipo de documento
Trabalho de Conclusão de Curso
Data
2011
Título da Revista
ISSN da Revista
Título do Volume
Projetos de Pesquisa
Unidades Organizacionais
Fascículo
Resumo
Através da metodologia de regressões de mínimos quadrados em dois estágios (2SLS), este estudo tenta testar e corrigir a endogeneidade presente no estudo de Bonzanini (2010) para que possamos saber, em escala macroeconômica, se investimentos sob a forma de licensing realmente agregam mais desenvolvimento e crescimento aos países quando comparado aos investimentos realizados sob a forma de FDI (Investimento Direto Estrangeiro). Para tanto foram coletadas 8 variáveis instrumentais (VI) com metodologias diferentes, provenientes do ICRG Risk Rating System, Index of Economic Freedom, Banco Mundial e do estudo de Ginarte e Park (2008). Inicialmente estima-se o primeiro estágio para testar quais dessas variáveis se mostram bons instrumentos para a regressão em dois estágios, posteriormente, aqueles que apresentaram um bom desempenho serão incluídos ao segundo estágio como instrumentos para as variáveis que pressupomos endógenas: abertura econômica e composição dos fluxos de investimentos. Realizamos esse procedimento para a análise com o Modelo de Solow e com a TFP (mesmas análises realizadas no estudo de Bonzanini (2010)). Apesar de as variáveis de interesse não terem se mostrado, na sua maioria, estatisticamente significantes ao realizarmos o segundo estágio, percebemos que a inclusão das VI exerce um efeito corretivo sobre o impacto que as duas variáveis citadas acima exercem na variável dependente de ambos os modelos, indicando que a endogeneidade presente no estudo de Bonzanini (2010) tende a superestimar o efeito da abertura econômica sobre o crescimento dos países.

Titulo de periódico
Título de Livro
Idioma
Português
Notas
Membros da banca
Área do Conhecimento CNPQ
Citação