When labor-based parties gain businesses’ trust: the case of Brazil’s Workers’ Party

Carregando...
Imagem de Miniatura
Co-orientadores
Tipo de documento
Trabalho de Conclusão de Curso
Data
2022
Título da Revista
ISSN da Revista
Título do Volume
Projetos de Pesquisa
Unidades Organizacionais
Fascículo
Resumo
Desde os processos de liberalização nas décadas de 80 e 90, elites financeiras e empresariais conseguem constranger partidos trabalhistas eleitos na América Latina a tentar buscar uma agenda econômica pró-mercado, assim comprometendo sua capacidade e incentivos de oferecer benefícios a seus eleitores tradicionais. No entanto, a implementação de políticas pró-negócios pelos partidos trabalhistas não depende apenas das pressões impostas pelos mercados internacionais de capitais, mas também é uma função da interação entre as elites partidárias e as suas bases. Assim, a forma como um partido se organiza desempenha um papel crucial nesse contexto, pois determina a alocação de barganha entre os dois. Meio a isso, este artigo, por meio de revisão bibliográfica e process-tracing, analisa o caso do Partido dos Trabalhadores no Brasil e as tentativas de Lula de conquistar a confiança do setor empresarial em seu primeiro mandato como presidente (2003-2006), comparando-o com outros casos semelhantes na América Latina. Como resultado, encontramos evidências de que, quando o partido do presidente tem fortes laços com movimentos sociais organizados, ao mesmo tempo em que concede autonomia às suas lideranças, o governo é mais propenso a optar pela ortodoxia de mercado, uma vez que as bases detêm menos poder.

Titulo de periódico
Título de Livro
Idioma
Inglês
Notas
Área do Conhecimento CNPQ
Ciências Exatas e da Terra
Citação