Análise do Índice Sharpe como medida de risco-retorno para a indústria brasileira de fundos

Carregando...
Imagem de Miniatura
Orientador
Araujo, Michael Viriato
Co-orientadores
Tipo de documento
Dissertação
Data
2017
Título da Revista
ISSN da Revista
Título do Volume
Projetos de Pesquisa
Unidades Organizacionais
Fascículo
Resumo
Este trabalho tem como objetivo avaliar se o índice Sharpe (Sharpe 1966) - comparado a novos índices que o sucederam ao longo dos anos - é um bom previsor de risco-retorno para a indústria brasileira de fundos de investimento. Uma crítica frequente às teorias que se baseiam no desvio padrão para estimar risco é que assumem uma distribuição normal de retornos, como fundos observam uma distribuição elíptica (Lhabitant 2004) o uso do índice Sharpe seria inapropriado. Baseado em estudos realizados por Eling (2008) e Eling e Schuhmacher (2007) é possível demonstrar que para a indústria brasileira de fundos as informações de retorno contidas no índice Sharpe são similares às obtidas através da aplicação de outros índices de risco. A escolha de um índice como medida de risco-retorno para avaliar um fundo de investimento no Brasil não é determinante e o índice Sharpe permanece adequado.

Titulo de periódico
Título de Livro
Idioma
Português
Notas
Membros da banca
Área do Conhecimento CNPQ
Citação