Estimando uma função de reação não-linear para o Brasil

Carregando...
Imagem de Miniatura
Orientador
Rossi Júnior, José Luiz
Co-orientadores
Tipo de documento
Dissertação
Data
2009
Título da Revista
ISSN da Revista
Título do Volume
Projetos de Pesquisa
Unidades Organizacionais
Fascículo
Resumo
Este trabalho utiliza modelos de transição suave (STR) para explorar empiricamente a possibilidade da função de reação do Banco Central do Brasil ser não-linear, relaxando a hipótese que as preferências da autoridade monetária sejam simétricas em relação à inflação e a atividade. Utilizando dados em tempo real para a atividade econômica, os resultados encontrados indicam que a função de reação no Brasil é não-linear, e que os parâmetros da função de reação não se alteram ao longo do tempo. A não-linearidade da função de reação está associada ao desvio da inflação esperada em relação à meta. O período analisado é caracterizado por uma função de reação côncava, consistente com preferências avessas a recessão por parte da autoridade monetária.

Titulo de periódico
Título de Livro
Idioma
Português
Notas
Membros da banca
Silva, Marcelo Moura De Leite E
Araújo, Carlos Hamilton Vasconcelos
Área do Conhecimento CNPQ
Citação