Seletividade e market-timing : uma análise sobre a indústria brasileira de fundos de ações de gestão ativa

Carregando...
Imagem de Miniatura
Orientador
Gonçalves, Adalto Barbáceia
Co-orientadores
Tipo de documento
Trabalho de Conclusão de Curso
Data
2020
Título da Revista
ISSN da Revista
Título do Volume
Projetos de Pesquisa
Unidades Organizacionais
Fascículo
Resumo
O Brasil nos últimos três anos vem presenciando uma forte mudança do cenário macroeconômico do país, em que a taxa de juros (SELIC) foi reduzida de 14,25% a.a. em 2016 para 4,5 % a.a. em 2019. Tal cenário afetou fortemente o apetite dos investidores brasileiros, que passaram a demandar ativos e instrumentos de investimentos de maior risco. A captação líquida da indústria de fundos brasileira vem ganhando força ano após ano desde o início deste expressivo processo de queda de juros, principalmente em fundos multimercado e de ações, que são mais arriscados e dependentes da habilidade do gestor de gerar performance por meio de uma gestão ativa de portfólio. Com esta atual conjuntura surgem indagações em torno da capacidade destes gestores em entregar o que vendem em seus fundos/produtos: retornos consistentes acima de seus bechmarks de referência. Neste paper será analisado como a indústria brasileira de fundos de ações ativos performou nos últimos 10 anos, de modo a observar se por meio de estratégias ativas de alocação os gestores brasileiros tiveram êxito em entregar o que geralmente vendem nos prospectos de seus fundos: performances consistentemente acima do mercado.

Titulo de periódico
Título de Livro
Idioma
Português
Notas
Membros da banca
Gonçalves, Adalto Barbáceia
Área do Conhecimento CNPQ
Citação