Negação ou Confissão? Explorando o Papel da Atribuição de Responsabilidade, Sinceridade e Integridade Percebida na Efetividade das Alegações Verbais na Reparação de Confiança

Carregando...
Imagem de Miniatura
Autores
Carvalho, João Vinicius de França
Sarkis, Isabella Dib
Orientador
Co-orientadores
Tipo de documento
Trabalho de Evento
Data
2018
Título da Revista
ISSN da Revista
Título do Volume
Projetos de Pesquisa
Unidades Organizacionais
Fascículo
Resumo
Na literatura de reparação de confiança, estudos prévios argumentam que negações são estratégias verbais mais apropriadas que confissões para reparar violações de confiança relacionadas à integridade. Este estudo pretende contribuir para a discussão ao clarificar os mecanismos causais a partir dos quais estas estratégias verbais aumentam propensão a conciliar o relacionamento. Assim, a partir de um modelo de mediação-seriada e moderada, o presente trabalho objetiva examinar o papel mediador que atribuição de responsabilidade e percepção de integridade exercem na relação entre estas alegações verbais e reparação de confiança e também analisar se e como a sinceridade percebida da explicação influencia a efetividade destas alegações na restauração de confiança. Os resultados de um experimento baseado em cenário mostraram que a negação leva a menor atribuição de responsabilidade que, por sua vez, leva à maior integridade percebida do infrator, o que gera então maior propensão a conciliar a relação. Além disto, os resultados revelaram também que a força deste efeito indireto sequencial da negação é enfraquecido quanto menos sincera for vista essa negação. Tais achados sugerem que a negação é apenas uma estratégia superior para reparar confiança, quando ela for percebida como explicação crível pela vítima.

Titulo de periódico
Título de Livro
Idioma
Português
Notas
Membros da banca
Área do Conhecimento CNPQ
Ciências Sociais Aplicadas
Citação