O mercado de trabalho brasileiro e a informalidade

Carregando...
Imagem de Miniatura
Orientador
Madalozzo, Regina Carla
Co-orientadores
Tipo de documento
Trabalho de Conclusão de Curso
Data
2008
Título da Revista
ISSN da Revista
Título do Volume
Projetos de Pesquisa
Unidades Organizacionais
Fascículo
Resumo
Esta monografia aborda o mercado de trabalho brasileiro, com o intuito de encontrar o impacto de mudanças na legislação trabalhista sobre o mesmo. Para tanto, foram estimadas as probabilidades dos indivíduos brasileiros trabalharem mais de 44 horas semanais (número máximo de horas regulamentadas), utilizando os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD), divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), referentes aos anos de 1986 a 1988. A estimação foi realizada a partir de um probit, e o teste para a mudança de comportamento dos trabalhadores, analisando as probabilidades estimadas, foi realizado com a aplicação da metodologia diferenças em diferenças aos grupos de controle e tratamento, sendo estes os indivíduos que trabalham menos de 44 horas semanais e mais de 44 horas semanais, respectivamente. Foi possível observar que houve modificação no comportamento das pessoas quanto à probabilidade de trabalhar um número de horas além do permitido e quanto à carteira de trabalho assinada, proxy para formalidade.

Titulo de periódico
Título de Livro
Idioma
Português
Notas
Membros da banca
Moita, Rodrigo Menon Simões
Área do Conhecimento CNPQ
Citação