Regulação no mercado habitacional e o acesso a moradia no Brasil

Carregando...
Imagem de Miniatura
Co-orientadores
Tipo de documento
Trabalho de Conclusão de Curso
Data
2016
Título da Revista
ISSN da Revista
Título do Volume
Projetos de Pesquisa
Unidades Organizacionais
Fascículo
Resumo
No Brasil, apesar de esforços feitos pelo governo federal, estados e municípios, políticas públicas como o programa Minha Casa Minha Vida e o Programa Moradia não tiveram efeito significativo sobre o nível do deficit habitacional, que tem permanecido constante nas últimas duas décadas. Em 2015, ainda havia no Brasil um deficit habitacional estimado de cerca de 5 milhões de famílias (PNAD, 2007-2012), com maior ocorrência de deficit habitacional para as famílias mais pobres, aquelas com renda de até 3 salários mínimos. Ou seja, cerca de 5 milhões de famílias não tem acesso a habitação formal (o mercado informal de certa forma supre a necessidade de moradias, porém de qualidade precária e sem direito de posse). Uma oferta deficitária de habitações coloca principalmente famílias de baixa renda em situação de vulnerabilidade, restringindo seu acesso a serviços básicos e a infraestrutura de qualidade. Vivendo em moradias precárias, provenientes do mercado informal, tem limitado acesso a educação, saúde e saneamento básico, e, além disso, estão isoladas da economia formal e sem proteção e/ou auxílio do Estado e das instituições formais, e por isso tem maior dificuldade em aumentar seu nível de renda e de bem-estar, e pouca chance de ascensão social (World Bank, 1993).

Titulo de periódico
Título de Livro
Idioma
Português
Notas
Membros da banca
Lazzarini, Sérgio Giovanetti
Área do Conhecimento CNPQ
Citação