QUAL A RESPOSTA DO IBOVESPA ÀS MUDANÇAS INESPERADAS DA TAXA SELIC?

Carregando...
Imagem de Miniatura
Orientador
Martins, Sérgio Ricardo
Co-orientadores
Tipo de documento
Trabalho de Conclusão de Curso
Data
2017
Título da Revista
ISSN da Revista
Título do Volume
Projetos de Pesquisa
Unidades Organizacionais
Fascículo
Resumo
Em tempos de afrouxamento monetário, abre-se muito espaço para oportunidades diferentes de investimento, muitas delas voltadas para o mercado de ações. Para explorar mais a fundo os possíveis ganhos nesse mercado, nos baseamos em um estudo de Bernanke e Kuttner (2005) que buscou explicar as reações do mercado de ações às políticas monetárias do Federal Reserve, Banco Central dos Estados Unidos. No estudo os autores medem o impacto de mudanças inesperadas da taxa de juros no mercado acionário norte americano. Segundo o resultado, um corte de 25bps no Fed Funds, taxa de juros cobrada pelo Federal Reserve, produz um aumento de aproximadamente 1% nos índices de Bolsa dos EUA. O presente estudo fez uso de metodologia similar àquela empregada por Junior e Junior (2011) ao se utilizar um modelo de regressões de séries temporais aplicado ao caso brasileiro. Dessa maneira, foi verificado que um aumento hipotético não antecipado de 1 ponto percentual na taxa de juros decidia pelo Comitê de Política Monetária do Banco Central do Brasil (COPOM) está associado a uma queda média de 0,73% do Ibovespa, no dia consecutivo à reunião do Copom.

Titulo de periódico
Título de Livro
Idioma
Português
Notas
Membros da banca
Martins, Sérgio Ricardo
Latif, Zeina Abdel
Área do Conhecimento CNPQ
Citação