Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.insper.edu.br/handle/11224/2615
Type: Dissertação
Title: Analisando a validade da Teoria de Kuznets por meio da metodologia de painel dinâmico para países desenvolvidos e em desenvolvimento
Authors: Caiafa, Fernanda
Advisor: Bortoluzzo, Adriana Bruscato
Publication Date: 2019
Original Abstract: Por meio de um painel dinâmico de 130 países para o período de 2003 a 2015, utilizando a metodologia de Arellano e Bover (1995), esta dissertação analisou a validade da teoria de Kuznets; o efeito de gastos do governo, tanto total quanto em educação, sobre desigualdade; uma possível persistência da desigualdade; e os diferentes efeitos das variáveis para países desenvolvidos e em desenvolvimento. Como resultado, corroboramos a teoria de Kuznets, isto é, para níveis iniciais de desenvolvimento, maior PIB per capita leva a um aumento da desigualdade de renda, mas a partir de um determinado ponto, há uma reversão nessa tendência sendo que aumentos no PIB per capita reduzem a desigualdade, este resultado é válido para países desenvolvidos e em desenvolvimento, apesar do ponto de reversão em países desenvolvidos ocorrer para níveis superiores de renda em comparação aos países em desenvolvimento. Para os gastos públicos, observamos que os gastos totais do governo reduzem a desigualdade em países em desenvolvimento, mas não possui efeito sobre os desenvolvidos, mostrando que uma política fiscal expansionista pode reduzir a desigualdade naquele grupo de países. Além disso, corroboramos a validade da hipótese de persistência do Gini, isto é, há uma elevada dificuldade em alterar a desigualdade ao longo dos anos. Por fim, encontramos que há um efeito diferente nas variáveis população urbana e fertilidade entre países desenvolvidos e em desenvolvimento.
Keywords in original language : Desigualdade de renda. Teoria de Kuznets. Painel dinâmico
Abstract: Through a dynamic panel of 130 countries over the period of 2003 to 2015, using the methodology of Arellano and Bover (1995), this dissertation analyzed the validity of Kuznets theory; the effect of government spending, both total and in education, on inequality; a possible persistence of inequality; and the different effect of variables for developed and developing countries. As result, we corroborate the Kuznets theory, under which for early levels of development, higher GDP per capita leads to increase in income inequality, but from a certain point there is a reversal in this trend with increases in GDP per capita reducing inequality. This result is valid for developed and developing countries, although the reversal point in developed countries occurs for higher income levels compared to developing countries. For public spending, we found as result that total government spending reduces inequality in developing countries, but has no effect on developed countries, showing that an expansionary fiscal policy can reduce inequality in developing countries. In addition, we corroborated the validity of the Gini persistence hypothesis, that is, there is a high difficulty in changing inequality over the years. Finally, we found that there is a different effect on urban population and fertility between developed and developing countries.
Language: Português
Appears in Collections:Mestrado Profissional em Economia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
FERNANDA CAIAFA.pdf1.15 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.