Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.insper.edu.br/handle/11224/2717
Type: Dissertação
Title: Dividindo a conta: efeito de copagamento nas despesas de saúde em empresas
Authors: Smynniuk, Raquel
Examination board: Cabral, Sandro
Castro, Rudi Rocha De
Orticelli, Marcelo Luís
Advisor: Azedo, Paulo Furquim de
Publication Date: 2019
Original Abstract: Muito se tem discutido sobre o alto custo dos planos de saúde para empresas privadas, tanto brasileiras quando internacionais. No mercado brasileiro, a cadeia de saúde suplementar apresenta diversas falhas de mercado, tornando a gestão dos planos de saúde bastante complexa, tanto da ótica empresarial quanto do usuário final. Uma série de ferramentas de incentivos pode ser estabelecida visando alterar o comportamento dos agentes dessa cadeia, a qual possui uma enorme assimetria de informações. Entretanto, ao revisar a literatura sobre o tema, identificou-se uma lacuna sobre como ferramentas de contenção da sobreutilização dos serviços de assistência à saúde podem, de fato, influenciar no comportamento dos usuários. A contribuição esperada dessa pesquisa se direciona a operadoras de planos de saúde e diretores de empresas do setor privado de forma a testar a validade das ferramentas da coparticipação e franquia como incentivos de redução de assimetria de informação para os beneficiários de planos de saúde, proporcionando inclusive a redução de utilização desnecessária dos serviços e consequentemente a sinistralidade do plano. Os resultados encontrados mostram que a implementação da coparticipação em consultas, exames e pronto socorro trouxe a diminuição esperada na frequência de utilização e no custo de todos os procedimentos. Os mesmos resultados não foram observados na empresa que implantou franquia apenas em terapias, o que pode decorrer da relação entre os diferentes procedimentos. Uma vez que o acesso à terapia requer pedido médico, o qual é precedido por consulta e exames, é plausível que o copagamento em terapias seja ineficaz para a moderação de seu consumo.
Keywords in original language : Health Plans. Copay. Deductibles. Suplementary Health Chain.
Planos de Saúde. Coparticipação. Franquia. Cadeia Suplementar de Saúde.
Abstract: There have been many discussions about the hight cost of healthy plans for private companies in the Brazilian and international markets. The suplementary healthy chain in Brazil has many market failures, making the health plan management a complex task, both for the business and end user perspectives. Many incentive tools may be applied aiming to modify the agent chain behaviour, in which asymmetric information is an important component. However, on revising literature about this issue, there have been identified a gap about how medical insurance overutilization containment tools can, actually, lead towards a behaviour changing for these users. This research expected contribution is focused on health plan providers and private companies’ senior managers objectiving to test the effectiveness of co-payment tools as asymmetric information reduction incentive for its end users, even including the over utilization reduction of medical services and, therefore, the plan usage claim cost. The results show that copay implementation in medical appointments, medical exams and emergency rooms decreased the usage and the cost, as expected, for all analyzed procedures. These results were not observed at the company that has implemented deductibles only on therapies, which can derive from the relation among the different procedures. Once the access to therapy demands a medical request, which is preceded by medical appointments and exams, it is reasonable to affirm that copayment is unnefective to moderate the therapy usage.
Language: Português
Appears in Collections:Mestrado Profissional em Administração

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Raquel Smynniuk.pdf1.02 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.