Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.insper.edu.br/handle/11224/4701
Type: Artigo Científico
Title: American way of life e jeitinho brasileiro: como afetam a oferta de trabalho das mulheres
Author: Madalozzo, Regina Carla
Segantini, Priscylla
Publication Date: 2017
Original Abstract: O presente estudo é pioneiro em comparar Brasil e Estados Unidos quanto aos fatores, em especial os ligados ao uso do tempo, que causam a disparidade na oferta de trabalho entre os gêneros. Usando como bases de dados a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio – Pnad (2011) e a American Time Use Survey – Atus (2011) e os modelos de regressões lineares com correção de Heckman como Regressões Quantílicas Não Condicionadas, o estudo conclui que, em ambos os países, o fato de ser mulher impacta negativamente as horas semanais dedicadas ao mercado de trabalho. Também verificou-se que as horas de trabalho doméstico impactam de maneira negativa as horas ofertadas ao mercado de trabalho, mas o impacto é significativamente mais forte e mais negativo para as mulheres do que para os homens. As regressões quantílicas permitem uma análise mais detalhada desses efeitos, em especial, o impacto do aumento das horas dedicadas ao trabalho doméstico ser mais elevado para mulheres com baixa participação no mercado de trabalho do que para mulheres que já oferecem um maior número de horas ao mercado. O inverso é encontrado para remuneração, em que observa-se uma curva de oferta de trabalho negativamente inclinada para as mulheres brasileiras dos quantis mais elevados da distribuição de horas de trabalho no mercado.
Keywords in original language : Economia feminista
Gênero
Mercado de trabalho
Abstract: The present study is the first to compare Brazil and the United States regarding the factors, especially those related to the use of time, that cause the disparity in the labor supply between the genders. Using the National Household Sample Survey (2011) and the American Time Use Survey (2011) as well Heckman’s linear regression models as Unconditional Quantile Regressions, the study concludes that in both countries the fact of being a woman negatively impacts the weekly hours dedicated to the labor market. It also found that hours of domestic work negatively impact hours offered to the labor market, but the impact is significantly stronger and more negative for women than for men. Quantile regression models allow a more detailed analysis of these effects. In particular, the impact of the increase in hours devoted to domestic work being higher for women with low participation in the labor market than for women who already offer more hours to the market. The contrary is found for remuneration where results imply in a negatively inclined labor supply curve for Brazilian women of the highest quantiles of the distribution of working hours in the market.
Keywords (english terms): Feminist Economics
Gender
Job market
Language: Português
Copyright: O INSPER E ESTE REPOSITÓRIO NÃO DETÊM OS DIREITOS DE USO E REPRODUÇÃO DOS CONTEÚDOS AQUI REGISTRADOS. É RESPONSABILIDADE DOS USUÁRIOS INDIVIDUAIS VERIFICAR OS USOS PERMITIDOS NA FONTE ORIGINAL, RESPEITANDO-SE OS DIREITOS DE AUTOR OU EDITOR.
Appears in Collections:Coleção de Artigos Científicos

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
R_Artigo_2017_ American way of life_TC.pdfR_Artigo_2017_ American way of life_TC555.53 kBAdobe PDFView/Open

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.