Apreçamento do term premium da estrutura a termo brasileira por equações afim

Carregando...
Imagem de Miniatura
Co-orientadores
Tipo de documento
Dissertação
Data
2018
Título da Revista
ISSN da Revista
Título do Volume
Projetos de Pesquisa
Unidades Organizacionais
Fascículo
Resumo
Este artigo tem como objetivo decompor a curva de juros brasileira em seus componentes de expectativas futuras e o prêmio de risco por termo (term premium). A estrutura a termo zero-cupom é interpolada exponencialmente a partir dos preços dos contratos futuros de DI e decomposta pelo ferramental apresentado em Adrian, Crump e Moench (2013b) (abreviado por modelo ACM) por uma série de regressões lineares, resultando em uma componente de preços no espaço neutro ao risco e outra no espaço de preços observados. A diferença entre as duas componentes é o term premium. Para o Brasil, o modelo é consistente com os eventos recentes. Momentos de maior incerteza foram acompanhados de aumento no term premium, assim como no curto prazo a taxa de juros é explicada apenas pela soma das expectativas dos agentes. A teoria das expectativas é válida quando a política monetária é o fator mais relevante para se determinar a taxa de juros, no entanto, perde gradativamente sua relevância nos prazos mais longos. Ao contrário do que se acredita no mercado, a inclinação da curva de juros mostrou-se ser um indicador ruim de risco, sendo esse uma combinação do nível de juros de curtíssimo prazo e a inclinação. Revisitando os dados dos Estados Unidos, as relações entre nível, inclinação e term premium como no caso brasileiro não são observadas, criando uma oportunidade para estudos futuros entre os resultados obtidos e as diferenças entre as duas economias.

Titulo de periódico
Título de Livro
Idioma
Português
Notas
Membros da banca
Área do Conhecimento CNPQ
Citação