Índices ESG como preditivos dos desvios morais das empresas brasileiras

Carregando...
Imagem de Miniatura
Co-orientadores
Tipo de documento
Dissertação
Data
2021
Título da Revista
ISSN da Revista
Título do Volume
Projetos de Pesquisa
Unidades Organizacionais
Fascículo
Resumo
Os investimentos ESG têm ganhado cada vez mais destaque nas discussões relacionadas a investimentos socialmente responsáveis, seja no mercado financeiro ou na academia. Por tais investimentos, entende-se aqueles que integram questões relacionadas a meio-ambiente, sociedade e governança corporativa na tomada de decisão de alocação do capital. Para tornar as empresas facilmente comparáveis entre si quanto às questões ESG, foram criados os chamados índices ESG. Diz-se que se os índices ESG estiverem bem calibrados, eles foram capazes de identificar as empresas que criaram um arcabouço de medidas eficaz para torná-las menos suscetíveis a se envolverem em casos de escândalo corporativo (desvio moral) em um momento futuro. Nesse sentido, o presente estudo busca verificar se, de fato, os índices ESG são bons preditivos para os desvios morais futuros das empresas. O estudo adotou a metodologia de dados em painel e contou com base de dados da Refinitiv (Asset 4), contendo índices ESG e índices de controvérsias de 117 empresas brasileiras de capital aberto entre 2007 e 2020. Os resultados encontrados concluíram que os índices ESG não são um bom preditivo para os desvios morais das empresas e que as preocupações da academia sobre a confiabilidade destes índices possuem fundamento.

Titulo de periódico
Título de Livro
Idioma
Português
Notas
Membros da banca
Boaventura, João Maurício Gama
Área do Conhecimento CNPQ
Citação