O comportamento de compra do individuo em contexto organizacional: o caso de seleção de viagens corporativas em empresas no Brasil

Carregando...
Imagem de Miniatura
Orientador
Ramos, Carla Sofia Dias
Co-orientadores
Tipo de documento
Dissertação
Data
2015
Título da Revista
ISSN da Revista
Título do Volume
Projetos de Pesquisa
Unidades Organizacionais
Fascículo
Resumo
O deslocamento dos funcionários nas organizações brasileiras além de suas localidades-base tem se tornado cada vez mais frequente diante do crescimento econômico do país e da maior expansão regional e internacionalização das corporações nos últimos 10 anos. Por outro lado, a carência da infraestrutura nacional e o descasamento da relação “oferta versus demanda” por serviços relacionados ao turismo vêm provocando uma elevação significativa dos custos da viagem a negócios, fazendo com que as empresas adotem medidas para otimizar os seus recursos com a maior assertividade possível. As empresas tendem assim a implementar procedimentos e controles internos aos seus funcionários (por exemplo, via políticas de viagens), que se refletem em um maior ou menor grau de liberdade ao indivíduo durante o processo de decisão de compra das viagens. Espera-se que mediante um dado grau de liberdade dado ao indivíduo nesse processo, e considerando contingentes variados, a natureza do comportamento de compra do indivíduo oscile, podendo agir predominantemente em função dos interesses próprios ou em função dos interesses da empresa. Espera-se assim também diferentes resultados para a empresa quanto às despesas com viagens corporativas. Esta dissertação tem por base uma pesquisa de natureza exploratória e explicativa, de metodologia mista de design comparativo (i.e. QCA). O objetivo reside em compreender o comportamento de compra do indivíduo em um contexto organizacional no qual a política de viagens da empresa concede ou não certo grau de liberdade de escolha dos serviços de transporte aéreo. Estuda-se assim sob que condições é que o indivíduo terá ou não um comportamento com maior tendência a preferências individuais. Consideram-se fatores diversos, tais como os programas de fidelidade, a qualidade de serviço das companhias aéreas ou os incentivos oferecidos pela organização ao funcionário que podem afetar a sua escolha. Pretende-se desta forma compreender como é que o nível de despesas das empresas com viagens a negócios é afetado, resultado de um conjunto de condições associadas ao grau de liberdade de escolha delegada ao indivíduo e aos fatores mencionados. Com isso, o trabalho indica direções dos elementos que condicionam a decisão de compra individual e as associadas despesas com viagens das empresas. Proporciona-se desta forma aos gestores um conhecimento útil quando da elaboração de políticas internas de viagem para um melhor aproveitamento dos recursos financeiros e satisfação e segurança dos seus funcionários.

Titulo de periódico
Título de Livro
Idioma
Português
Notas
Membros da banca
Saes, Maria Sylvia Macchione
Área do Conhecimento CNPQ
Citação