Exposição Cambial Assimétrica: evidência sobre o Brasil

Carregando...
Imagem de Miniatura
Orientador
Rossi Junior, Jose Luiz
Co-orientadores
Tipo de documento
Dissertação
Data
2008
Título da Revista
ISSN da Revista
Título do Volume
Projetos de Pesquisa
Unidades Organizacionais
Fascículo
Resumo
O escopo deste estudo é analisar o comportamento das empresas brasileiras frente a variações cambiais, incorporando a presença de assimetria através de um modelo não linear. Observou-se que diversas empresas brasileiras possuem exposição cambial e assimetria. A quantificação destes efeitos, porém, diverge entre a utilização de modelos lineares e não lineares. De um total de 153 empresas, durante o período de 1999 a 2007, obtém-se que, na análise linear, a exposição cambial afeta 50% da amostra. Com a elaboração de um modelo não linear, entretanto, tem-se que 30% da amostra é afetada significativamente por uma exposição cambial e presença de assimetria. Além disso, neste caso, 47% possui ou a presença de exposição ou assimetria. Desta forma, a análise da não linearidade na exposição do risco de câmbio aumenta consideravelmente a precisão e o significado de estimativas da exposição cambial.

Titulo de periódico
Título de Livro
Idioma
Português
Notas
Membros da banca
Silva, Marcelo Leite De Moura E
Rochman, Ricardo
Área do Conhecimento CNPQ
Citação