Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.insper.edu.br/handle/11224/2710
Type: Dissertação
Title: Previsibilidade dos retornos e o valor das opções reais nas empresas da América Latina
Authors: Cardoso, Luiz Gustavo Mauro
Examination board: Gonçalves, Adalto Barbaceia
Bucchi, Wadico Waldir
Advisor: Minardi, Andrea Maria Accioly Fonseca
Publication Date: 2019
Original Abstract: A essência da gestão estratégica é definir com ações e recursos meios para capturar valor econômico de forma sustentável no longo prazo. Todavia, os tradicionais métodos de avaliação de empresas como o Fluxo de Caixa Descontado, e o Fluxo de Dividendos Descontados possuem resultados estáticos a um dado cenário, logo, não levam em conta as possibilidades das flexibilidades (opções) na gestão de cada empresa, em especial àquelas que atuam em múltiplos segmentos de atividade e regiões geográficas. A flexibilidade de gestão é um componente estratégico para a manutenção ou criação de vantagem competitiva, e por consequência influência na capacidade da empresa em gerar valor econômico. O intuito deste trabalho é examinar se o valor das opções reais em empresas com sede fiscal na América Latina, que atuam em múltiplos segmentos – ou seja, em países e segmento de setor de atividades diferentes – que foram ou são listadas entre dez/1994 à dez/2017, possuem (a) poder de previsibilidade do futuro retorno das ações, (b) se o tipo de controle importa, e (c) se há menores prêmios de risco em comparação à média de mercado mesmo controlando pelos fatores de risco dos modelos de 3 fatores (Fama-French, 1993), quatro fatores (Carhart, 1997), e por 5 fatores (Fama-French, 2015). Para tanto, utilizamos como variável proxy para fins de opções reais o grau de flexibilidade operacional mercadológica estimado pelo PVGO (Price Value and Growth). Para fins de robustez, estimamos por três (3) métodos distintos conforme (a) dividendos (Kester, 1984), (b) Valor da Firma (Tong e Reuer, 2006) e (c) Valor Econômico Agregado (Tong, Reuer e Peng, 2008), bem como, em todos os métodos testamos como robustez se o controle estatal importa. Observamos em todos os testes que há evidências que o mercado, requer menores retornos esperados às empresas com maior grau de flexibilidade operacional mercadológica, ou seja, para empresas com maior valor das opções reais. Tanto em nossa amostra completa (considerando empresas de todos os setores), como na amostra selecionada (considerando apenas as empresas não bancárias), ao controlar pelos fatores de risco por Fama Macbeth (1973), as 10 empresas com maior grau de diversificação em sua indústria, possuem uma redução do alpha requerido. Conforme esperado por Bernando et al. (2005), o efeito da diversificação reduz o prêmio exigido ou esperado. Ou seja, tais efeitos, decorrem pela maior valoração ao preço pago pelo investidor em empresas mais diversificadas (Bodnar et al, 1997) em sua indústria, correspondendo a um maior VPL acrescido ao valor da opção real. Estrategicamente, competir em múltiplos mercados é um aspecto tanto da forma, como do comportamento da intensidade competitiva, que estão associados a escolhas no âmbito da firma. Estas escolhas, são típicas opções reais (Copeland e Antikarov, 2001) que os acionistas e administradores realizam tanto no planejamento como na dinâmica estratégica e competitiva da empresa. Acreditamos que nossa pesquisa, possa contribuir para o melhor entendimento relativo a redução do prêmio esperado em empresas mercadologicamente diversificadas, bem como, ao ambiente corporativo ao demonstrar a geração de valor pode ocorrer na redução do risco esperado em empresas mais diversificadas dada a presença de opções reais.
Keywords in original language : Opções Reais; Opções de Crescimento; Finanças Corporativas; Fama French; Múltiplos segmentos
Abstract: Strategic management focuses on actions and resources to appropriate economic value. As results of competitive advantage, a company might yield persistence and abnormal return. Traditional valuation methods, such as discounted cash flow (DCF), dividend discounted (DDM) yields static results to a given scenario. Those methods do not consider company flexibilities or the value of managerial flexibility as a strategic component for competitive advantage, and consequently the influence of the company's ability to generate economic value and above-average returns. The aim of this study is to examine if the value of real options in listed companies in Latin America and Caribean that operates in multi-segmented firms– that operates at different countries and industry segment -, (a) has power of predictability for future stock return, (b) if the type of control matters, and (c) if there is lower expected return for diversify firms in comparative to the market even when the results are controlled by 3 model factors (Fame-French, 1993), model of return set of four factors (Carhart, 1997), and the return adjusted model for factors 5 the (Fame-French, 2015). For this purpose, we used as a proxy variable for real options the degree of market operational flexibility estimated by the PVGO (Price Value and Growth). For robustness, we estimate three (3) different methods according to (a) Dividends (Kester, 1984), (b) firm value (Tong, and Reuer, 2006) and (c) Aggregate economic value (Tong, Reuer and Peng, 2008). For robust analysis we also test if the type of control matters. Therefore, run our samples with and without the presence of state-owned companies. We observed in all tests that there is evidence that the market, requires lower expected returns to companies with more marketing operational flexibility, that is, for companies with higher value of the real options. In both our full sample and select one, when controlling by risk factors for Fama Macbeth (1973), companies with the highest degree of diversification in their industry, have a reduction of the alpha required.As expected by Bernando et al. (2005), the effect of diversification reduces the required or expected prize. In other words, such effects result from the higher valuation of the price paid by the investor in more diversified companies (Bodnar et al, 1997) in its industry, corresponding to a higher NPV added to the value of the actual option. Strategically, competing in multiple markets is an aspect of both form and competitive intensity behaviour, which are associated with choices within the firm. These choices are typical real options (Copeland and Antikarov, 2001) that shareholders and managers perform both in planning and in the strategic and competitive dynamics of the company. We believe that our research can contribute to a better understanding of the reduction of the expected premium in diversified companies, as well as to the corporate environment when demonstrating value creation can occur in reducing the expected risk in more diversified companies, given the presence of competitive real options.
Language: Português
Appears in Collections:Mestrado Profissional em Administração

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Luiz Gustavo Mauro Cardoso.pdf1.9 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.