O efeito do relacionamento prévio e das alegações verbais na reparação da confiança violada

Carregando...
Imagem de Miniatura
Orientador
Co-orientadores
Tipo de documento
Trabalho de Conclusão de Curso
Data
2016
Título da Revista
ISSN da Revista
Título do Volume
Projetos de Pesquisa
Unidades Organizacionais
Fascículo
Resumo
O presente estudo objetiva investigar qual o efeito de dois fatores sobre a recuperação da confiança após uma quebra desta. O primeiro fator a ser investigado é a relação prévia entre os agentes. Essa pode ser caracterizada por dois tipos de mecanismos de governança: contratos formais ou informais. Já o segundo fator diz respeito aos tipos de alegações verbais utilizadas após a quebra da confiança. As duas alegações verbais empregadas no estudo são: confissão e negação. Essas alegações podem mudar a interpretação da vítima sobre a violação da confiança. Utilizando um experimento fatorial 2X2, o efeito destes fatores nas reações cognitivas dos agentes (benevolência e integridade percebidas, bem como atribuição causal do evento e propensão a conciliar) a um evento de violação de confiança foram medidos. Os resultados demonstram que o tipo de contrato não apresentou efeito nas variáveis dependentes. Entretanto, a justificativa apresentou relevância para as variáveis atribuição causal e propensão a reconciliar. No caso da atribuição causal, a probabilidade de o infrator ser considerado culpado pelo evento negativo é maior quando ele confessa do que quando ele nega. Já no caso da propensão a reconciliar, esta se encontra maior quando este nega do que quando ele confessa. Por fim, a interação entre os fatores (tipo de contrato e justificativa) não apresentou relevância. Dessa forma, uma contribuição teórica deste estudo propõe que a negação é uma estratégia dominante neste contexto em que a eventual mentira não pode ser identificada para os casos de quebra de confiança, dada atribuição causal externa.

Titulo de periódico
Título de Livro
Idioma
Português
Notas
Área do Conhecimento CNPQ
Citação