Influência dos sindicatos e das demissões nas entradas de ação trabalhista: avaliação no setor financeiro

Carregando...
Imagem de Miniatura
Co-orientadores
Tipo de documento
Dissertação
Data
2018
Título da Revista
ISSN da Revista
Título do Volume
Projetos de Pesquisa
Unidades Organizacionais
Fascículo
Resumo
O objetivo deste trabalho é avaliar empiricamente, com dados do setor financeiro, a propensão de um funcionário ingressar com uma ação trabalhista através de um modelo de regressão logística. Um dos desafios para realização de estudos dessa natureza é que não há um modelo econométrico na literatura que possa antever a entrada de ação trabalhista. A literatura é escassa sobre o tema, normalmente os artigos estudam os processos após a abertura da ação, avaliando objetos mais solicitados pelos trabalhadores, percentual de casos vencidos, percentual de condenação por diferentes tribunais, entre outros. Porém, não se acha na literatura um modelo econométrico que possa prever a possível abertura de ação trabalhista, segundo características como: associação ao sindicato e o tipo de desligamento sofrido pelo funcionário. A partir de dados de 18.104 funcionários desligados no período de 2014 e 2015, construiu-se a base de dados para análise. Foram utilizadas duas variáveis para testar as hipóteses, sendo uma para avaliar se o funcionário é sindicalizado e a outra para avaliar se o funcionário sofreu uma demissão, além da inclusão de dez variáveis de controle, como idade, sexo, estado civil, tempo de empresa, tempo da última ação meritocrática, nível do cargo, nível de escolaridade, tipo de departamento que o funcionário trabalha, raça e Estado. Foram construídos quatro modelos de regressão logística, testando as hipóteses separadas e conjuntamente. As variáveis que avaliam se o funcionário é sindicalizado e foi demitido se mostraram altamente relevantes, assim como as variáveis controle idade, estado civil, tempo da última ação meritocrática, nível do cargo, nível de escolaridade e tipo de departamento. Os resultados obtidos nos quatro modelos foram satisfatórios, com percentual de classificação correta acima de 73%, chegando até 75,1%. Os valores obtidos pela curva ROC também foram satisfatórios, variando de 77,1% a 79,3%.

Titulo de periódico
Título de Livro
Idioma
Português
Notas
Membros da banca
Rocha, Francisco Marcelo Monteiro Da
Área do Conhecimento CNPQ
Citação